Seja bem vindo!

●๋•__ Grandes realizações tiveram início com apenas um sonho e era que um dia este sonho se tornaria realidade. Então, vá em frente e acredite! Ouse sonhar!__ °.•

sábado, 30 de junho de 2012

Fruto do Espírito - parte 8

Oi gente!
Falando agora sobre um 'gomo' que a nossa atual sociedade precisa e muito.
Aonde os pais e filhos precisam rever os seus conceitos, ou seja, famílias tem se destruído por faltar algo tão simples e tão importante...

MANSIDÃO ou HUMILDADE

A mansidão é o fruto do Espírito que parece perdido em nossa cultura agressiva, egocêntrica. As pessoas a associam à debilidade, e a maioria não admira os outros por serem submissos. Mas é isso que somos chamados a ser.
Que é mansidão? É uma atitude de humildade para com Deus e gentileza para com as pessoas – quando reconhecemos que Deus está no controle e que podemos confiar nEle, mesmo quando as coisas não vão como gostaríamos, como é frequentemente o caso. A fim de sermos submissos, precisamos de confiança, não em nós mesmos, mas no Senhor.
Embora fraqueza e mansidão possam parecer semelhantes, não são a mesma coisa. A fraqueza se deve a circunstâncias negativas, como falta de força ou falta de coragem, palavras que não descrevem Jesus, que disse: “Tomai sobre vós o Meu jugo e aprendei de Mim, porque sou manso e humilde de coração” (Mt 11:29). Mansidão, ao contrário, é resultado da decisão consciente da pessoa para confiar em Deus e se apoiar nEle, em lugar de pressionar para que as coisas aconteçam a seu modo. Assim, a mansidão se origina da força, não da fraqueza.

“Manso e humilde de coração”

1. “Tomai sobre vós o Meu jugo e aprendei de Mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma” (Mt 11:29). O que Jesus está nos dizendo nesse verso? Como a mansidão e humildade de coração nos trazem descanso?

Mansidão é a renúncia absoluta à batalha pelas nossas opiniões e a crença de que Deus lutará em nosso favor pelo Seu programa. A mansidão é o oposto da agressividade e do egoísmo. Tem origem na confiança na bondade e controle de Deus sobre a situação. A pessoa mansa não está preocupada com o eu (veja Lc 22:42) e estaé uma atitude chave para a promessa de encontrar descanso. Afinal, não são nosso tumulto e nossa agitação o resultado de buscarmos apenas os nossos interesses e nossa vontade? No mais verdadeiro sentido, então, uma pessoa mansa é alguém que aprendeu a morrer para o eu, e isso requer fé, coragem e perseverança, características que o mundo não necessariamente associaria à mansidão.

2. Como Paulo descreve a mansidão? Rm 12:3 

 Efésios 4:2 é outro texto que nos ajuda a entender o que é mansidão. Note como está relacionado com Romanos 12:3, visto que ambos os textos enfatizam à sua própria maneira por que a arrogância e o egoísmo são o oposto da experiência do cristão. Afinal, por que algum cristão seria arrogante? Não somos todos pecadores? Não seríamos todos condenados à destruição eterna, se não fosse por Jesus? Não somos todos totalmente dependentes de Deus para cada respiração, cada batida do coração? Todo dom e talento não nos veio de Deus? Então, o que temos, que nos torna orgulhosos? Nada! Realmente, considerando todo o custo de nossa salvação, os cristãos devem ser o povo mais manso e mais humilde na Terra.

Modelos de mansidão

Lembra-se da crise que Abraão enfrentou ao decidir com seu sobrinho, Ló, como repartir a terra? (Veja Gn 13:8, 9.) Visto que Deus havia prometido fazer de seus descendentes uma grande nação, qual poderia ter sido a justificativa de Abraão para tomar o melhor para si mesmo? Em vez disso, Abraão permitiu que Ló escolhesse primeiro, dizendo que ele tomaria o que restasse. Essa é uma característica da mansidão!
A maioria conhece a história de José vendido como escravo ao Egito por seus irmãos. Leia novamente a história de quando eles o procuraram, agora como segundo no governo de todo o Egito, e pedindo para comprar comida (Gn 45). Como a mansidão de José determinou sua maneira de tratar os irmãos? Provavelmente, se ele não fosse manso, o que teria feito? Gênesis 50:20 é um exemplo da visão daqueles que são mansos.
Ainda jovem, Davi foi ungido para ser o próximo rei de Israel. O rei Saul ficou loucamente ciumento e, por anos, procurou Davi e seus homens com a intenção de matá-lo. Em duas ocasiões, Davi teve a oportunidade de matar Saul (1Sm 24:3-7; 26:7-12). Se Davi não fosse manso, qual poderia ter sido seu raciocínio para matar Saul? Por que é tão fácil usar uma desculpa espiritual para fazer algo que está em nosso interesse?
Em Números 12:3, Moisés é descrito como o homem mais manso de seu tempo. Mas suas ações decisivas não parecem se ajustar ao conceito popular de mansidão. Sua exigência para que o faraó deixasse Israel ir era forte e foi seguida de ação. Quando Israel adorou o bezerro de ouro, sua ira se acendeu e, antes que tudo terminasse, ele tomou o bezerro que eles haviam feito, queimou-o a fogo, reduziu-o a pó, espalhou-o sobre a água e a deu para que os filhos de Israel bebessem (Êx 32:19, 20). Como devemos entender a mansidão de Moisés?

Evidentemente, Jesus é o maior modelo de mansidão (Mt 11:29). Quais são alguns dos exemplos de Sua mansidão? Por exemplo, como Sua mansidão se revelou em João 18:21-23? Ou que dizer de Mateus 26:39? Ao mesmo tempo, encontramos exemplos de Jesus fazendo coisas que não parecem ser mansas, como quando Ele expulsou os cambistas do templo ou todas as ocasiões em que Ele confrontou os fariseus e outros a respeito de sua hipocrisia. Como esses exemplos nos ajudam a entender que a mansidão pode se manifestar de maneira muito corajosa?
 
A importância da mansidão

“Buscai a justiça, buscai a mansidão; porventura, lograreis esconder-vos no dia da ira do Senhor” (Sf 2:3). Mansidão é o oposto do orgulho. Existe muita ênfase hoje na importância de ter autoestima. Quando a autoestima ultrapassa os limites e se torna orgulho?
A mansidão é necessária para receber a Palavra de Deus. “Acolhei, com mansidão, a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar...” (Tg 1:21). Quem não tem espírito humilde não pode receber a Palavra de Deus, porque existe um conflito de interesses. Por quê?
A mansidão é necessária para o testemunho eficaz. “Santifiquem Cristo como Senhor em seu coração. Estejam sempre preparados para responder a qualquer pessoa que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês. Contudo, façam isso com mansidão e respeito” (1Pe 3:15, 16, NVI).
“Nossa influência sobre outros não depende tanto do que dizemos, mas do que somos. Os homens podem combater ou desafiar nossa lógica, podem resistir a nossos apelos; mas a vida de amor desinteressado é um argumento que não pode ser contradito. A vida coerente, caracterizada pela mansidão de Cristo, é uma força no mundo”

Mansidão dá glória a Deus. 1 Pedro 3:4 diz: “Seja... o homem interior do coração, unido ao incorruptível trajo de um espírito manso e tranquilo, que é de grande valor diante de Deus.”
“É justo amar o belo e desejá-lo; mas Deus deseja que primeiro amemos e busquemos a beleza do alto, que é imperecível. Nenhum adorno externo se compara em valor ou amabilidade com ‘um espírito manso e quieto’, o ‘linho fino, branco e puro’ (Ap 19:14), que todos os santos da Terra usarão. Essa veste os fará belos e amados aqui, e será depois sua senha para admissão ao palácio do Rei. Sua promessa é: ‘Comigo andarão de branco; porquanto são dignos disso’” (Ap 3:4Atos dos Apóstolos, p. 523, 524).

Praticando o fruto da mansidão 

A mansidão será manifestada em nosso relacionamento com os outros. Isto é, trata-se de algo ativo, algo que se revelará em nossas palavras, atitudes e ações. Você pode pensar que é manso, mas isso não significa necessariamente que você seja. Ser manso é manifestar isso.
3. Como a mansidão deve ser revelada em nossa vida? Por que a mansidão é tão importante nessas situações?
 a. Mt 5:39 b. Mt 18:21, 22 c. Gl 6:1 d. 2Tm 2:24, 25 e. Tt 3:2 f. Fp 2:2, 3

Como temos dito desde o princípio, a mansidão está associada injustamente com a fraqueza. É tudo a não ser isso. Volte a examinar os versos de hoje. Você pode ver que é necessário força moral e espiritual para revelar mansidão na maioria dessas situações. 

A recompensa da mansidão

ED. Hulse disse: “A humildade é uma coisa estranha. No minuto em que você acha que conseguiu, você a perde.”
Uma pequena cidade queria reconhecer e recompensar seu cidadão mais manso. Foi feita uma pesquisa em sua comunidade, que, por fim, identificou a pessoa. Em uma cerimônia assistida por todas as pessoas importantes, o cidadão mais manso foi presenteado com uma fita em que estavam inscritas as palavras: “O Homem Mais Manso da Cidade”. Porém, no dia seguinte, eles tiveram que tirar dele a fita, pois ele a estava usando!

4. Como você entende as promessas e recompensas mencionadas nos textos seguintes?
a. Sl 22:26 b. Sl 25:9 c. Sl 37:11 d. Sl 147:6 e. Is 29:19 f. Mt 5:5

 Estes versos são confortantes porque existem ocasiões em que as pessoas podem tirar proveito dos mansos. Mas aprendemos neste estudo que uma pessoa mansa não está preocupada em se exaltar diante dos homens, mas em exaltar Deus. Como resultado, Deus promete exaltar aquele que é manso. As recompensas podem vir agora e, mais seguramente, no novo Céu e na nova Terra da eternidade.

by:mangasafra

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Fruto do Espírito - parte 7

Oi gente!
Nossa o estudo devocional que estamos fazendo fortalece a nossa ALMA e nos ajuda a prosseguir em direção ao Centor da Vonta de Deus. Aleluia!
Bom, hoje falaremos de algo muito importante também, pois, sem esse 'gomo' é impossivel agradar a DEUS!



Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vêem de vós; é dom de Deus. (Efésios- 2:8).
Numa linguagem popular: Ninguém é salvo forçado,portanto , é necessário que alguns elementos essenciais para a salvação, fazendo com que a pessoa humana seja aquilo que Deus que quer.
Não é à prestação! A Bíblia não ensina assim; mas, necessário é que certos elementos, tais como a fé, a graça, a regeneração, a justificação, a expiação, o perdão, o arrependimento, a reconciliação, a redenção, a santificação, a adoção, estejam presentes na salvação plena da pessoa humana.
A Bíblia declara que somos salvo pela fé – E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa. (Atos- 16:31).

TENDO sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo; (Romanos- 5:1)
Que diremos pois? Que os gentios, que não buscavam a justiça, alcançaram a justiça? Sim, mas a justiça que é pela fé. Mas Israel, que buscava a lei da justiça, não chegou à lei da justiça. Por quê? Porque não foi pela fé, mas como que pelas obras da lei; tropeçaram na pedra de tropeço; (Romanos- 9: 30,31,32).

Enriquecido com o Espírito pela fé. Aquele, pois, que vos dá o Espírito, e que opera maravilhas entre vós, fá-lo-á pelas obras da lei, ou pela pregação da fé?
(Gálatas- 3:5 à14)Assim como Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça. Sabei, pois, que os que são da fé são filhos de Abraão.
Ora, tendo a Escritura previsto que Deus havia de justificar pela fé os gentios, anunciou primeiro o evangelho a Abraão, dizendo: Todas as nações serão benditas em ti.
De sorte que os que são da fé são benditos com o crente Abraão.
Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las.
E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé.
Ora, a lei não é da fé; mas o homem, que fizer estas coisas, por elas viverá.
Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós;
porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro;
Para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo, e para que pela fé nós recebamos a promessa do Espírito.

Santificado pela fé- Para lhes abrires os olhos, e das trevas os converteres à luz, e do poder de Satanás a Deus; a fim de que recebam a remissão de pecados, e herança entre os que são santificados pela fé em mim. (Atos- 26:18).

Guardados pela fé- Está bem; pela sua incredulidade foram quebrados, e tu estás em pé pela fé. Então não te ensoberbeças, mas teme. (Romanos- 11:20).
Não que tenhamos domínio sobre a vossa fé, mas porque somos cooperadores de vosso gozo; porque pela fé estais em pé. (2Corintios -1:24).
Que mediante a fé estais guardados na virtude de Deus para a salvação, já prestes para se revelar no último tempo (1Pedro- 1:5).
Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé (1João- 5:4).
Estabelecido e curado pela fé.
Este ouviu falar Paulo, que, fixando nele os olhos, e vendo que tinha fé para ser curado (Atos- 14:90).
E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. (Tiago- 5:15).
Novamente consideramos o valor da fé no pensamento de Deus. Ele declara ser a fé necessário para agradá-Lo.
Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que eEle existe, e que é galardoador dos que o buscam. (Hebreus- 11:6)., e considera a descrença como grande pecado.

Do pecado, porque não crêem em mim; (JOÃO- 16:9).
Mas aquele que tem dúvidas, se come está condenado, porque não come por fé; e tudo o que não é de fé é pecado (ROMANOS- 14:23).
A fé, portanto, além de ser uma operação do Espírito, é também uma reação da alma. Ela é uma operação direta de Deus.
E a mão do Senhor era com eles; e grande número creu e se converteu ao Senhor (Atos- 11:21).
É preciosa-( 2 PEDRO: 1:1) -SIMÃO Pedro, servo e apóstolo de Jesus Cristo, aos que conosco alcançaram fé igualmente preciosa pela justiça do nosso Deus e Salvador Jesus Cristo.

É santíssima- Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo (Judas- 1:20).

A obra da vossa fé, do trabalho do amor, e da paciência da esperança em nosso Senhor Jesus Cristo, diante de nosso Deus e Pai (1Tess.-1:3).

A fé é ferramenta para a salvação.
E Jesus lhe disse: Vê; a tua fé te salvou (Lucas- 18:42).
Esta fé pode ser chamada também de fé subjetiva (interior), oriunda do coração que, em sua própria natureza, desenvolve essa espécie de fé.
Mas que diz? A palavra está junto de ti, na tua boca e no teu coração; esta é a palavra da fé, que pregamos. A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo (Romanos- 10:8,9).
É o principio básico para que o homem se aproxime de Deus, crendo na sua existência. Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe, e que é galardoador dos que o buscam (Hebreus- 11:6). E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum (Atos- 2:44).

Biblicamente falando, a Escritura define a fé da seguinte maneira: Ora a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem (Hebreus- 11.1).
É a atitude de completa confiança em Cristo, de dependência exclusiva d’Ele, a respeito de tudo quanto está envolvido na salvação.
O efeito da fé: quando o homem é possuído pela fé verdadeira ele, passa a andar num campo espiritual, em que as bênçãos de Deus se tornam sucessivas em sua vida.

É preciso ir além dos sentidos humanos.
Este mundo, entretanto, não pode ser ultrapassado sem que o homem tenha em si o verdadeiro elemento da fé.
Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?( LC- 18:8).
E crescia a Palavra de Deus, e em Jerusalém, se multiplicava muito o número dos discípulos, e grande parte dos sacerdotes obedecia à fé. (Atos- 6:7).

MAS o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios;( 1TM- 4:1).

Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.( 1TM -6:10).
Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvação comum, tive por necessidade escrever-vos, e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos ( Judas- 3).

Para descrever a fé, crer, etc.
Ela em hebráico significa: buscar refúgio. O SENHOR retribua o teu feito; e te seja concedido pleno galardão da parte do SENHOR Deus de Israel, sob cujas asas te vieste abrigar( RT- 2:12).
Apoiar-se: Em qualquer tempo em que eu temer, confiarei em ti( SL- 56:3).
Esperar : E quanto ao que disseste, que o não verás, juízo há perante ele; por isso espera nele (JÓ-35:14).

No Antigo Testamento, a fé era fundamentadana esperança das promessas de Deus; a religião de Israel se fundamentava na aliança realizada por Deus com seu povo no Sinai.
Esta aliança é o fundamento da fé israelita. Crer é aceitar como verdadeira a existência do Deus vivo e poderoso cujo auxílio era invocado.
No Novo Testamento, a fé era difundida numa dimensão de magnitude; ela, conforme se depende, chega a ser concedida como sendo consubstanciada.
Alguns destes exemplos são: Jesus, vendo,(observando bem a frase- vendo) a fé… E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, perdoados estão os teus pecados( Marcos- 2:5).
Novamente vendo a fé…que tinha… Este ouviu falar Paulo, que, fixando nele os olhos, e vendo que tinha fé para ser curado…( Atos- 14:9).
Já em hebreus, define fé, como o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem( Hebreus- 11:1).

 Por conhecimento- não queremos dizer aquele conhecimento que percebemos por nossos sentidos naturais; mas um que é tão superior que a mente do homem deve transcender a si mesma para alcançá-Lo. Por isso Paulo fala de conhecer o amor de Cristo. E conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus (Efésios. 3:19). Além disso, desde que se diz que andamos por fé e não por vista, fica claro que as coisas que aprendemos pela fé estão atualmente ocultas da nossa vista. Daí concluimos que o conhecimento da fé consiste na certeza mais do que na compreensão. Pela fé deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como vendo o invisível ( HB -11:27). Temos chamado este conhecimento de firme e certo, porque a fé não se satisfaz com opinião vacilante e percepções confusas, mas procura uma certeza plena e fixa, sem vacilar.

A fé descansa na certeza.A fé é a certeza…
No beneplácito de Deus, para o qual a fé olha, percebemos que temos a vida eterna; porque se Ele nos assegura do seu amor, nenhum bem pode nos faltar.
Portanto, assim a fé descansa na certeza de que, embora nos faltem mais coisas que pareçam necessárias aqui no mundo, Deus nunca nos faltará.
O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará( Salmos- 23:1).
Pelo contrário, se tivermos todas as coisas que desejamos,mas, não tivermos certeza se Deus nos ama ou nos odeia, nossa felicidade estará sob uma maldição e, portanto, em nada melhor do que a miséria.
Onde quer que exista a fé viva, ela necessariamente deve ser acompanhada pela esperança da salvação eterna como doação divina mediante esta fé, pois se não tivermos esta esperança, por mais eloqüentemente que discorramos sobre a fé, fica evidente que não temos fé nenhuma;pois a fé acredita que Deus é verdadeiro, e, portanto, a esperança aguarda que Ele cumpra sua promessa no devido tempo; a fé acredita que Ele é nosso Pai, e a esperança confia que Ele nos trata como seus próprios filhos; sempre estamos a ouvir o soar da voz divina;a tua fé te salvou.

E ainda mais…em esperança somos salvos. E Jesus lhe disse: Vê; a tua fé te salvou( Lucas- 18:42).
O alcance do argumento. Em relação ao homem, a fé é o aspecto positivo da verdadeira conversão, o lado humano da regeneração. E pelo arrependimento.
No arrependimento; são inseparáveis e paralelos.
Tem-se dito que o arrependimento é a fé em ação, e que a fé é o arrependimento em repouso. Os aspectos desta fé são aprofundados nas dimensões da vida espiritual. Neste sentido, a fé em relação aquele que possui, deve ser coerente (não fingida), ou seja, deve ser a expressão de sua vida interna.
A fé se compõe de três elementos essenciais:
Romanos- 10:14,15.
Os versículos chaves para expressar o significado do pensamento são: Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? E como pregarão, se não forem enviados? Como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho da paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas.

A reação favorável do coração (sinônimo de alma). Os versículos principais que descrevem essa parte da fé (Romanos- 10:9,10).
A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação( Romanos- 10: 9,10).

Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome (JO -1:12).

A essência da fé consiste em receber o que Deus tem revelado e pode ser definida em Deus, e em Jesus Cristo, a quem Ele enviou, que o recebe como Salvador e Senhor, e a seguir produz obediência por amor. E obras de acordo com a revelada vontade de Deus.

João- 1:12- Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;
Tiago- 2:14- Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo?
Neste campo, portanto, a fé se manifesta sobre estes aspectos: No tocante à salvação. Quando analisada deste ponto de vista de observação, a fé é uma confiança pessoal (sem merecimento próprio)no Senhor Jesus Cristo como morto por nossas ofensas e ressurgido para nossa justificação (Romanos- 4:23,24,25). Ora, não só por causa dele está escrito, que lhe fosse tomado em conta. Mas também por nós, a quem será tomado em conta, os que cremos naquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus nosso Senhor. O qual por nossos pecados foi entregue, e ressuscitou para nossa justificação.
No tocante à oração. Nesse sentido, a fé a confiança que temos nele, se pedimos o que precisamos (não o que merecemos), Deus colocará essa fé em confronto com sua vontade, e assim, ele nos ouve.
1João- 5:14,15- E esta é a confiança que temos n’Ele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que lhe fizemos.
No tocante as coisas invisíveis. Referente às coisas invisíveis de que falam as Escrituras, a fé lhes dá substância, de maneira que agimos na convicção da sua realidade.
Hebreus- 11:3- Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente.

A fé é descrita, em suas várias relações e tem diversos graus, que vão desde a crença inicial até confiança dependente. Envolve o intelecto, as sensibilidades e a vontade e se expressa em obras que harmonizam com a verdade crida.
A fé comum. A fé comum conforme determina o tempo, significa aquela essência de confiança que nasce do coração. Costumamos dizer: todo o homem tem fé. Mas também repetimos, nem todo homem usa a fé comum, a saber…Se…em teu coração creres…A idéia primária da existência de Deus no coração humano é
necessariamente o princípio de formação desta fé comum, peculiar a todos os homens.
Alguém pode dizer: Eu não quero Deus. Ao invés de dizer: Eu não creio em Deus.
Romanos- 1:19- Porquanto o que de Deus se pode conhecer nele se manifesta, porque Deus lho manifestou.
Romanos- 12:2- E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.

FÉ ESPECIAL- A fé especial, conforme o significado do pensamento, é vista como sendo um dos donos de poder.
1CO 12:9- E a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar. Ela não é permanente na pessoa humana. Em si mesma o é. É momentânea e circunstancial (opera dentro de uma circunstância especial e necessária).Qualquer milagre divino operado na Bíblia, era realizado através da fé especial.
A fé especial é uma capacidade vinda diretamente de Deus, capacitando o homem para este ou para aquele fim. Falando sobre ela, disse nosso Senhor:Ó mulher! (uma pecadora) grande é a tua fé.E para apóstolos… homens de pouca fé. Mateus- 14:31 -E logo Jesus, estendendo a mão, segurou-o, e disse-lhe: Homem de pouca fé, por que duvidaste? Alguém poderá então perguntar se a fé de Pedro foi uma fé especial; respondemos que sim! A poucos instantes de ele ouvir Jesus esta exortação, usando a fé, andou sobre as águas. Ninguém pode andar como Pedro andou, sem uma fé especial. Mas, infelizmente, sua confiança desceu, e ele também.

Mateus- 14:30- Mas, sentindo o vento forte, teve medo; e, começando a ir para o fundo, clamou, dizendo: Senhor, salva-me! Em cada grupo dos dons, há um dom de maior magnitude! Por exemplo:
Dom de sabedoria é mais sublime do que os demais dons (ciência e discernimento). Nos dons de expressão vocal, a profecia é mais essencial que os demais ali mencionados (línguas e interpretações). De igual modo, nos dons de poder, a fé está em primeiro lugar; ninguém pode operar maravilhas, curar, etc, se não for possuidor da fé especial.
Mateus- 17:20-E Jesus lhes disse: Por causa de vossa pouca fé; porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há de passar; e nada vos será impossível.

NA FÉ INTELECTUAL. A fé intelectual, conforme sugere o termo é muito importante em si mesma para afirmação da verdade, mas não suficiente para a salvação.
Atos- 17:28- Porque n’Ele vivemos, e nos movemos, e existimos; como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração.
Tiago- 2:19 -Tu crês que há um só Deus; fazes bem. Também os demônios o crêem, e estremecem. Podemos denominá-la de fé objetiva (fé exterior), que pode vir ao encontro da pessoa humana pelo testemunho e estudo das Escrituras e a manifestação do universo visível.
Assim sendo, a fé intelectual afirma a existência de Deus, mas não descobre o plano da redenção.
Atos- 17:11- Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.
Romanos-10:11- Porque a Escritura diz: Todo aquele que n’Ele crer não será confundido.
Os passos da fé em relação ao homem, e, no plano de sua salvação, a fé se apresenta com os seguintes resultados:.
Traz a remissão dos pecados: Atos-10:43- A este dão testemunho todos os profetas, de que todos os que n’Ele crêem receberão o perdão dos pecados pelo seu nome.
NA JUSTIFICAÇÃO- Romanos- 5:1- TENDO sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo. NA SANTIFICAÇÃO- Atos- 15:9 -E não fez diferença alguma entre eles e nós, purificando os seus corações pela fé.
NA LUZ DA PALAVRA- João- 12:36- Enquanto tendes luz, crede na luz, para que sejais filhos da luz. Estas coisas disse Jesus e, retirando-se, escondeu-se deles.
NA VIDA ESPIRITUAL- JO- 20:31 -Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome.
NA ADORAÇÃO- Gálatas- 3:26- Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus.
NA PRESENÇA DE DEUS- Romanos- 5:2 -Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.

A fé, portanto, é, um dos atributos da alma, um dos frutos do Espírito Santo.

by:mangasafra

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Instruções para ser um grande Líder


Oi gente!
Bom, estou trazendo a vocês algo maravilhoso que DEUS tem me dado e quero compartilhar com todos vocês e ainda quero dizer que DEUS realmente capacita os seus escolhidos!
Bom aprendizado para você!


Algumas dicas

Um Líder deve reconhecer as qualidades de seus liderados.
Procurar desenvolver uma mesma linha de raciocínio com o seu grupo.
Respeitar e impor respeito.
Pra você ser vice-líder de Ministério de Louvor a partir de agora você precisa domar e esquecer que um dia você teve um temperamento forte.
Você nunca deve falar agressivamente e/ou arrogantemente com as pessoas e principalmente se elas forem suas lideradas, pois, um grande erro cometido até hoje é que o Líder acha q pode falar de qualquer maneira com quem ele quiser. Defeito terrível!
Pensar antes de falar ou mesmo agir com qualquer pessoa deve fazer parte de sua nova Filosofia de Vida como Liderança.
Nunca tomar decisões de cabeça quente.
Sempre estar disposto a ouvir.
Falar menos e ouvir mais.
Suas opiniões não são absolutas, mas, você precisa acreditar sempre no seu potencial e no que você acredita mesmo quando todos duvidarem de sua capacidade.
Total submissão e respeito a todas as pessoas e não somente aos seus lideres, porque, isso fará você ser GRANDE. Não será sua posição, mas, sim sua submissão, pois, mostrando seu amor e zelo e preocupação pelas pessoas e mostrando sempre o quanto elas são importantes para Deus, mesmo, que o caráter deles não valham nada.
Mas, é preciso deixar bem claro que você é uma pessoa usada e direcionada por DEUS.
Uma tática infalível é Ser uma pessoa altamente Influenciadora, pois, esta é a chave do sucesso para qualquer tipo de relacionamento, pois, seja ele no trabalho na igreja esse modelo que devemos seguir é o modelo do próprio Jesus.
Ele poderia parecer um pobre coitado nascido de uma pobre mulher que não tinha nem onde cair morta e um pai carpinteiro, mas, ele quando chegava aos lugares deixava lá a sua marca e isso é o que todo Líder precisa saber fazer. Pois, isso impõe respeito!
E sem fazer força alguma com as pessoas saiba de uma coisa. Tudo o que você colocar diante delas, mesmo, que elas não concordem e ainda reclamem, mas, elas acatarão a sua ordem, porque, elas sabem e acreditam no seu potencial e alta capacidade de liderança.
Por tanto, a partir de hoje você adotará uma nova postura diante das pessoas e de sua família quando você discordar do seu Líder ou de qualquer outra pessoa você nunca falará na frente de outrem, mas, você chamará no canto ou em uma sala, pois, o lugar não importa desde que seja reservado você discutirá com sabedoria e alto controle ainda que esteja ferindo a sua alma, mas, você mostrará postura e autoridade e maturidade.
Pouquíssimas são as pessoas que eu passo a chave do sucesso que Deus me ensinou e tem me ensinado.
Preste atenção, pois, eu só invisto aonde eu sei que terei retorno. Sou um investidor. Você pode até me ver com todos, mas, poucos estão comigo.
Raras são as pessoas para quem passo isso, porque, é a receita que Deus me deu para crescer.
Por mais que esteja errado o Líder ou não se dê muito bem nas atitudes.
Sendo um agente influenciador você será defendido a ferro e fogo pelo Pastor, pelos obreiros, pela igreja e é claro por seus liderados.
Eles serão capazes de dar a cara a tapa pelo seu Líder.
Os que te perseguiam não mais te ferirão.
Nunca tenha atitudes que possam lhe comprometer diante das pessoas.
Podemos não entrar em acordo em algum determinado assunto, pois, somos indivíduos que pensam diferentemente uns dos outros, mas, a sós e isso porque somos falhos.
Nunca discuta nada na frente de ninguém que não possa ter envolvimento com determinado assunto que esteja sendo ali levantado.
Você tem a alta capacidade de comandar o que você quiser, mas, nunca se esqueça disso que, um Líder
que você é, já mais, e em hipótese alguma pode perder a sua Razão.
Podem te humilhar e escorraçar, mas Deus será sua Justiça e a sua Razão precisa ser mantida sempre.
Guarde uma coisa em sua mente e no seu coração que um verdadeiro Líder ele tem o poder de influenciar o seu próprio Líder. Entendeu?
Assim como José do Egito foi nós precisamos ser.
Ele poderia não ser o Faraó Rei do Egito, mas, ele era quem governava, mesmo, como senso o segundo ali naquela terra, mas, ainda assim José comandava mais do que o primeiro, ou seja, mais até do que o próprio Faraó. Por tanto, não se importe com posições, mas sim, com a Plena Vontade de Deus para a sua vida, pois, ela é quem faz toda a diferença na vida de um grande Líder!
Exercer total e plena influência sobre a vida dos pastores é muito importante para que assim você possa desenvolver uma perfeita harmonia entre as ordens repassadas por seus Líderes fazendo com que seus liderados acatem as suas ‘ordens’.
Ser Líder não é ser ditador, mas sim, um amigo sempre disposto a ajudar e influenciar a vida de seus liderados.
Ética, respeito e a sua moral devem ser sempre mantidas diante de seus liderados, pois, sem ter respeito como, pois, eles irão lhe respeitar?
Saiba fazer separação entre os problemas que lhe forem propostos, sejam eles, de caráter profissional ou pessoal. Nunca mistures as coisas.
Procure ter tempo e oportunidade para ter um diálogo com todos ainda que não muito longo, mas, proveitoso.
Voe alto como águia!
Saiba se colocar em todos os ambientes em que você tiver de conviver. Seja familiar, profissional ou eclesiástico, pois, saber conviver em vários ambientes é algo de extrema importância para você que sabe do seu chamado para liderança.
E por fim, um Líder tem que ter uma plena certeza e convicção em seu coração que, um Líder não conseguirá ser um bom Líder se antes ele não for um bom liderado.
Guarde isso em seu subconsciente e em seu coração!
Espero poder ter sido útil em algo na sua vida.
Deus abençoe!

Marcelo Gomes dos Santos
Líder do Ministério de Louvor – Teu Fluir

by:mangasafra

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Fruto do Espírito - paste 6

Oi gente!
Bom, prosseguindo com o estudo devocional falaremos hoje sobre um dos 'gomos' que a igreja do SENHOR precisa ter também como prática de vida constante.

BONDADE

Mas esta virtude tem seu próprio significado e ela é es­sencial em todo este conjunto que forma o fruto do Espírito. Bondade é um derramar do cora­ção procurando fazer o bem a alguém. 

Falar, agora, sobre a bondade, parece- nos, à primeira vista, repetir o que foi dito de todas as demais virtudes que formam o fruto do Espírito Santo. Na verdade o amor expressa-se em bondade, a alegria traz em si um sabor de bondade. A paz revela a bondade, a benignidade traduz a bondade, e assim por diante. Mas esta virtude tem seu próprio significado e ela é es­sencial em todo este conjunto que forma o fruto do Espírito. Bondade é um derramar do cora­ção procurando fazer o bem a alguém.

Já vimos que todas estas virtudes que o Espírito Santo quer implantar em nosso caráter estão no caráter de Jesus. O propósito de Deus para nossas vidas é que sejamos "conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos" (Rm 88.29). Deus quer filhos e Deus quer uma família (Ele é nosso pai e nos fez irmãos de seu Filho). A bondade é um distintivo dos filhos de Deus, conseqüentemente é o distintivo da família de Deus, pela simples razão de que o Pai é um ser bondoso e que nos­so irmão maior, Jesus, expressou a mais autêntica bondade quando deu sua vida por nós.

A igreja que está retratada em Atos dos Apóstolos soube reproduzir fielmente, em seu viver, muito da bondade de Deus e de Jesus. Vejamos este texto: "Todos os que creram esta­vam juntos, e tinham tudo em comum. Vendiam as suas propriedades e bens, distribuído o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade" (At 2.44,45). Eis um viver sin­gular, o viver em bondade. Este viver é totalmente diferente do mundo desconhecedor da bon­dade. E podemos dizer, bondade desconhecida também, em grande parte, pela igreja hoje. A bondade que estava em cada coração ali, era o elemento chave que caracterizava a vida daqueles primeiros cristãos. O que um possuía era de todos; ninguém se apegava ao que era seu como uma possessão privada, dispunham do que possuíam para o bem de quem dele necessitasse. Não haviam estabelecido normas ou regulamentos para viverem assim; simplesmente eram as­sim. Entre eles ninguém pretendia ser superior, nem ninguém sofria por ser interior. Era o re­fulgir de algo que transbordava de seus corações: bondade. Como podiam ser assim?

Atos 2.43 responde: "Eles perseveravam na doutrina dos apóstolos". Eles receberam o ensino e o aplicavam no viver diário. Também sabiam que aqueles que lhes ministravam, tinham uma experiência pessoal de bondade, pois o Mestre também instituíra entre eles o viver com uma bolsa comum, e daí vir o suprimento eqüitativo para todos. Também, há em Atos dos Apóstolos, uma frase chave para este viver em bondade: "Homens cheios do Espírito Santo"; homens que deixaram o Espírito produzir neles o seu fruto. Há aqui uma dinâmica extraordinária de vida, demons­trando como alguns milhares de irmãos podiam expressar-se como se fossem uma só família. De forma grandiosa eles viviam intensamente no reino de Deus. Tinham plena convicção de que o bondoso Jesus estava no meio deles. Como teria sido significativo para a vida do mun­do, através dos séculos, se o novo povo de Deus não tivesse perdido esta característica tão própria deles.

Deus é essencialmente bondoso. Quando Moisés pediu a Deus para ver a sua glória, Deus lhe respondeu: "Farei passar toda a minha bondade diante de ti" (Ex 33.19). Bondade é perdão e seremos chamados filhos do Altíssimo. O Deus benigno quer gerar filhos benignos! Que bom seria se as pessoas pudessem dizer de todos nós, "tal Pai, tal filho". As qualidades vistas no caráter do Pai são as qualidades nas quais os filhos devem crescer.

Paulo enfatiza a benignidade de Jesus ao introduzir a defesa de sua autoridade apostó­lica na igreja de Corinto: "eu mesmo, Paulo, vos rogo, pela mansidão e benignidade de Cris­to..." (11 Co 10.1). Que grande benignidade Jesus demonstrou para conosco, dando-se na cruz por nós. O propósito glorioso de Deus é introduzir em nossas vidas a beleza da pessoa de seu Filho. Ele quer que cheguemos aquele ponto em que no nosso andar, e através de nosso agir, revelemos o caráter de Jesus. Podemos reagir como Jesus reagiria diante de injustiças, insultos e momentos desagradáveis que surgem?

Não esqueçamos que nem sempre a nossa benignidade trará um retorno favorável. Quando assim ocorre, aí, ainda mais, será testada a benignidade que já se expressa de nós. Tudo que Jesus fez por Judas Iscariotes não o demoveu de traí-lo. Toda a benignidade de Deus para com Israel, não ganhou este povo para, através dele, chegar à integral realização de seus ­propósitos. Mesmo hoje a benignidade de Deus não é, muitas vezes, correspondida por nós. Nem sempre somos reconhecidos e agradecidos a Ele, mas Ele continua a nos amar.

Quando Jesus contou a parábola do filho pródigo (Lc 15.11), sublinhou a benignidade do pai deste rapaz ao dizer: "O pai, porém disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa; vesti-o, ponde um anel no dedo e sandálias nos pés; trazei também e matai o novilho cevado. Coma­mos e regozijemo-nos, porque este meu filho estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado". Que merecia esse moço? A benignidade do pai deixa de lado os erros passados do fi­lho e antevê a vida do filho reintegrada no seu verdadeiro lugar.

Também, no ensino de Jesus, encontramos ensinos onde a benignidade tem de se ex­pressar: "A qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra; e ao que quer de­mandar contigo e tirar-te a túnica, deixa-lhe também a capa. Se alguém te obrigar a andar uma milha, vai com ele duas dá a quem te pede, e não voltes as costas ao que deseja que lhe emprestes" (Mt 5.39-42). O ensino aqui é: Ao tratar com o nosso semelhante, devemos fazer tudo aquilo que ele possa esperar de nós e ir ainda mais adiante. Por que este gesto de benigni­dade? É justamente neste trato extraordinário, e que não era esperado de nós, que ganhamos o coração do outro. Não esqueçamos que o único lugar em que podemos treinar o viver o caráter de Cristo é, justamente, em nossa vida diária, em tudo que nela ocorre.

As virtudes do caráter de Jesus só estarão em nós quando praticadas, especialmente quando as circunstâncias são desfavoráveis a isto. "Permanecei em mim, e eu permanecerei em vós... pois sem mim nada podeis fazer" (Jo 15.4,5). Se Jesus estiver em nós temos todos os recursos para ser como Ele é. Se falhamos é porque não permanecemos nele; é porque não deixamos que Ele seja o centro de nossa vida. Sem Ele no comando sempre fracassaremos. Não esqueçamos: Se estamos em Cristo, estaremos crescendo sempre. Se não virmos isto ocorrer em nós, esperemos, e, em um momento certo perceberemos, ou os outros perceberão, que há grandes transformações ocor­rendo em nossa pessoa. Sendo assim, sejamos agradecidos ao Pai, confiantes em sua promessa que diz: "Quando ele vier, seremos semelhantes a ele, porque o veremos como ele é" (I Jo 3.2). Hoje não somos inteiramente benignos, mas estamos sendo formados benignos pelo Es­pírito Santo. A imagem do Deus benigno gravada em nós na criação e que se desfigurou com a queda está sendo regravada em nós, cada dia, pois, o novo homem, que assumimos em nossa conversão, esta sendo "criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade" (Ef 4.24).

Estamos em processo de cumprimento do propósito do Criador, para sermos "con­formes à imagem de seu Filho" (Rm 8.29). Final e completamente seremos semelhantes a Ele, a glória de Deus. Quem vê a bondade de Deus, vê a sua glória. Irmãos, estejamos sempre segu­ros disso: quando expressamos bondade aos outros, expressamos a glória de Deus aos outros.

O salmista, em muitos de seus versos, enaltece a bondade de Deus. "Como é grande a tua bondade, que reservaste para os que te temem" (SI 31.19); "Pois a bondade de Deus du­ra para sempre" (SI 52.1). “A terra, Senhor, está cheia de tua bondade" (SI 119.64). E, muitas vezes o salmista nos convida: "Rendam graças ao Senhor por sua bondade, e por suas mara­vilhas para com os filhos dos homens" (SI 107.21). Este convite é um estribilho que por qua­tro vezes ocorre neste salmo. Paulo nos diz: "...é a bondade de Deus é que te conduz ao arre­pendimento" (Rm 2.4); e nos exorta: "andai como filhos da luz (porque o fruto da luz consiste em toda bondade, e justiça, e verdade) (Ef 5.8,9).

Um homem, encontrando a Jesus, ajoelhou-se diante dele e perguntou: "Bom Mestre, que farei para entrar na vida eterna?" Jesus lhe respondeu: "Porque me chamas bom? Ninguém é bom senão um só, que é Deus" (Mc 10.17). Com esta expressão Jesus convida aquele ho­mem a uma ret1exão sobre a bondade de Deus. Jesus não estava interessado em ser chamado de bom; em sua bondade, queria sempre realçar esta virtude como uma das preciosas virtudes do Pai.

Não é com o que fazemos que alcançaremos a entrada na vida eterna, é a bondade do Pai que nos proporciona esta qualidade de vida. Em outras palavras, Jesus respondeu-lhe: Se queres possuir a vida eterna, apropria-te do que a bondade de Deus te oferece. "Vai, vende tudo o que tens, dá aos pobres, e terás um tesouro nos céus; então vem e segue-me" (v. 21). Isto quer dizer: A bondade de Deus deu sua maior riqueza por ti, deu seu Filho para que tenhas a vi­da eterna. Recebe-o, e começa a viver desde já a vida eterna, expressando-a aqui em gestos de bondade. E o ato de bondade que está mais perto de ti é socorrer os pobres com os teus bens.

Nossos atos de bondade, por mais significativos que nos pareçam, são extremamente pálidas luzes diante do intenso brilho da bondade de Deus. Só a eterna bondade do Pai, poderia enviar ao mundo o Salvador Filho, chamando-se Emanuel. Isso nos faz refletir sobre o fato de que, sendo nós o corpo de Cristo na terra, é através de nossa bondade para com os homens no mun­do, que eles poderão também conhecer a bondade de Deus. Ou seja, a bondade de Deus que veio à nossa vida tem de ser vista pelo mundo, através de nossos gestos de bondade para com ele. Cabe-nos sempre exercer, na maior expressão possível, a força, a pureza e a doçura da bon­dade divina. É no expressar da bondade que também demonstramos que Cristo realmente vive em nós. Oremos pedindo que a graça do Espírito Santo, produtora em nós de toda a bondade, possa continuadamente estar operando em nós.

A bondade de Jesus está presente em muitas passagens dos Evangelhos. Vejamos apenas uma destas narrativas. Chegava Jesus a uma cidade. Uma multidão ocorre curiosa. Um homem busca conhecê-lo, e para isto, precisa subir em uma árvore. Jesus passa e vendo-o, mostra o desejo de ir até sua casa. Este homem era desprezado pelos habitantes da cidade por ser um cobrador de impostos para o governo opressor e, por tomar-se rico, locupletando-se com a miséria alheia. Ninguém, em Jericó, poderia crer na regeneração deste homem.

Os olhos bondosos de Jesus viram nele o que ninguém estava apto para ver: um prisioneiro que poderia ser regenerado. Depois daquela visita, Jesus podia declarar: "Hoje houve salvação, nesta casa, pois que também este é filho de Abraão" (Le 19.9). A bondade sempre vê mais além o que po­de fazer por um necessitado, e sempre usa dos recursos que tem, materiais ou espirituais, para o bem daquele que deles precisa. Que o Espírito Santo nos de um intenso batismo de bondade! Amem.

by:mangasafra

terça-feira, 26 de junho de 2012

Fruto do Espírito - parte 5

Oi gente!
Esse 'gomo' que falaresmo hoje é muito interessante, vejam só!

BENIGNIDADE

Muitas pessoas ao lerem essa palavra pensam que se trata de BONDADE o sext o'gomo' que estudaremos do próximo capitulo.
Existe uma grande diferença entre benignidade e bondade, embora sejam termos bastante parecidos.
Benignidade é a disposição em ser bondoso com o próximo.
Significa excelência de caráter, pensar bem a respeito das pessoas.
Ser benigno significa também ser flexível. Deus não quer que sejamos demasiadamente exigentes (fardo pesado sobre os discípulos) e inflexíveis.
Bondade é a ação de ser bom, gentil e reto para com o próximo.
Devo pensar benignamente e agir com bondade.

Benignidade é a natureza boa.
Bondade é um ato de ser bom.

Benignidade é uma condição INTERIOR ao ser humano; evidencia uma predisposição para o Bem, e denuncia refinamento do caráter e da personalidade, e revela categoria superior.
Uma tal pessoa irá, forçosamente, agir com Bondade, já que esta é a AÇÃO correspondente àquela Virtude. Não há como ser Bom sem, antes, ter tal inclinação dentro de si, ou seja, pendor para o Bem, ou Benignidade...

A característica do Fruto do Espírito Santo denominada benignidade, significa a suavidade de caráter, a tranquilidade no espírito e a disposição de tratar com amabilidade o próximo. Ela é resultado da presença do Espírito de Deus em nosso viver, reflexo de um atributo divino (Jr 29.11), que se manifesta na conduta e no caráter dos filhos de Deus (Ef 4.1,2).
A benignidade é o desejo pelo bem, a ausência de más intenções, a busca pelo bem estar de nossos semelhantes. A manifestação deste sentimento nobre no interior de um cristão o impede de desejar o mal a alguém, ainda que este tenha cometido graves erros (I Co 13.4). É um freio diante dos sentimentos de ódio, vingança ou revanche. Não significa fraqueza ou debilidade emocional, porque o caráter benigno de um cristão o faz sentir amor pela correção e princípios estabelecidos na Palavra de Deus. A benignidade também é um caminho para o perdão (Ef 4.32), para a compreensão das necessidades alheias e um estímulo à contribuição na Igreja (At. 2.41-47; 4.32-37).
Devemos sempre ser benignos com nosso próximo, lembrando que somos fruto da benignidade divina: “Quando eu disse: O meu pé vacila; a tua benignidade, SENHOR, me susteve” (Sl 94.18).

Benignidade: Amor revelando Misericórdia

“Porque mui grande é a sua misericórdia para conosco” Salmos 117.2


De todos os atributos que representam o Fruto do Espírito, talvez seja este o que melhor conhecemos. Esta faceta do amor nos tem sido revelada de maneiras maravilhosas. E nós, por nossa vez, também temos vivido ocasiões em que pudemos manifestar benignidade para com outros.
 A benignidade acha-se invariavelmente associada à misericórdia. É impossível uma pessoa ser benigna sem ser misericordiosa. Por outro lado, ser misericordioso é o mesmo que ser benigno. Isso implica sempre em ter um profundo interesse pelos outros. E um interesse misto de compaixão e misericórdia. Somos levados a agir com benignidade porque nos interessamos por outrem. O interesse pelos outros é a essência do amor altruísta de Deus, expresso para com o nosso próximo.

A benignidade tambem se acha estreitamente ligada à sinceridade e respeito. A idéia de benignidade abrange por inteiro o ideal de se tratar outras pessoas com profunda integridade. Tratamos os outros com benignidade porque os consideramos e respeitamos como indivíduos, qualquer que seja sua cultura, fé religiosa, cor ou posição social. Procuramos ser úteis e compreensivos, porque temos por eles um interesse verdadeiro. Mas surpreendentemente, os seres humanos são extremamente sensíveis nessa questão de relacionamento pessoa. Eles conseguem perceber imediatamente se estamos agindo com uma atitude condescendente ou paternalista. A verdadeira benignidade não contém laivos de altivez. Ela implica num nivelamente com nosso semelhante, pelo amor, estendendo a mão para ajudá-lo naquilo que precisar.
Expressar benignidade não é enganar pessoas desesperadas, nem fingir um falso interesse por sua situação. A verdadeira benignidade vai muito além do fingimento, dos suspiros simulados e das lágrimas de crocodilo. Implica em nos envolvermos profundamente com o sofrimento e dificuldade de outrem, ao ponto de seu problema fazer-nos sofrer – sofrer mesmo – e causar-nos alguns inconvenientes.

A verdadeira benignidade é aquela que não se retrai ao ver que a sua manifestação lhe custará alguma coisa. Ela sacrifica suas próprias preferências, a fim de oferecer auxílio e conforto a outrem. Ela paga o preço do trabalho, incomodos, privações, e, silenciosamente e sem alarde, procura proporcionar satisfação a outrem. Sensível à dor e sofrimento de uma sociedade cheia de problemas, ela se propõe a fazer o que puder para aliviar esse sofrimento. E tenta fazer do mundo um lugar melhor e mais feliz para os que se acham mergulhados em dor e agonia.
É essa a qualidade de benignidade que caracteriza Deus, o Pai. Ele de fato se importa conosco; e sofre por nós. Nosso Pai celeste vem a nós em absoluta sinceridade e franqueza. Ele entrega sua vida por nós, da-se sem hesitação, para que fiquemos mais ricos. Identifica-se conosco, com nossos problemas. Sendo plenamente misericordioso, compassivo e ato-sacrificial, Ele tem sempre em mente o nosso bem, o nosso proveito.
Essa verdade é expressa por Paulo, na carta à igreja de Corinto : “Pois conheceis a graça de nosso Senhor Jesua Cristo, que, sendo rico, se fez pobre por nós, para que sua pobreza vos tornasseis ricos.” (2 Corintios 8.9)

Tenho a convicção inabalável de que, quando a Palavra de Deus nos instrui claramente a termos momentos de comunhão com Cristo, meditando em seus mandamentos, essa ordem está basicamente relacionada com misericórdia, compaixão e benignidade para conosco. Aquele que frequentemente tem instantes de reflexão sobre essas coisas se achará vivendo e movendo-se numa atmosfera de humildade e gratidão a Deus, por todos os benefícios a ele concedidos pelo terno Senhor.
Assim, impulsionados e constrangidos por esse amor – a vida de Cristo comunicada a nossa vida – poderemos sair deste mundo infeliz e sofrido, dispensando benignidade a outros.
Por onde quer que passemos, alí ficará um legado de amor.

” Pois bondade e misericórdia nos seguirão por todos os dias de nossa vida”.(Salmo 23.6)
Exerça a BENIGNIDADE!

by:mangasfara

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Fruto do Espírito - parte 4

Oi gente!
Um dos 'gomos' do Fruto do Espírito que iremos falar hoje é muito especial assim como os outros.
E esse de todos os 'gomos' precisa ser muito exercitado por todos nós.

Vamos lá falaremos da LONGANIMIDADE ou PACIÊNCIA.

LONGANIMIDADE é tolerância que suporta injurias e aceita situações de irritação ou dor - O oposto da impaciência. A etimologia sugere “firmeza da alma quando provocada à mudança”.

Sabeis estas coisas, meus amados irmãos. Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Porque a ira do homem não produz a justiça de Deus. (Tiago 1:19, 20)

O próprio Deus é tardio em irar.
“Mas tu, Senhor, és Deus compassivo e cheio de graça, paciente e grande em misericórdia e em verdade” Sl 86:15 A IRA Um estado emocional natural nos seres humanos como reflexo da própria indignação divina. Porém, a pecaminosidade faz da ira uma arma destruidora de relacionamentos e da própria pessoa irada. Compreender a ira é fundamental para o exercício da longanimidade.

O Longânimo - Pessoa de pavio longo, que não explode com facilidade, sabe esperar o momento certo para falar ou agir sem reagir ou explodir em ira quando provocado.

Deus para com os homens:
Rm 2:4 “Ou desprezas sua…longanimidade?”; 9:22 “Suportou commuita longanimidade os vasos de ira”; I Tm 1:16 “…para que em mim, o principal, evidenciasse Jesus Cristo a sua completa longanimidade”; I Pe 3:20 “…foram desobedientes quando a longanimidade de Deus aguardava nos dias de Noé…”; II Pe 3:15 “…e tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor…”

Do homem para com os homens: 
Pr 25:15 “A longanimidade persuade o príncipe, e a língua branda esmaga os ossos”; II Co 6:4,6 “Em tudo recomendamo-nos a nós mesmos como ministros de Deus…na pureza, no saber, na longanimidade”; Ef 4:2 “…andeis de modo digno da vocação… com longanimidade…”; Cl 3:12 “Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus… de longanimidade”; II Tm 3:10 “Tu, porém, tens seguido, de perto, o meu ensino…longanimidade”; 4:2 “Prega a palavra…exorta com toda a longanimidade…”

 A LONGANIMIDADE deve ser uma prática de vida exercendo sobre nós alto controle e total dominio de nossas ações e reações diante de toda e cada circunstãcia.
Ela deve nos ajudar a dominar a nossa personalidade por mais difícil que seja, pois, esse é um dos 'gomos' que nós cristão na maioria das vezes acabamos esquecendo de exercê-la.
As vezes queremos gritar, colocar para fora tudo o que nos vem em mente na hora da raiva, mas precisamos domar a nossa lígua. Precisamos engoliar 'SAPOS' muitas vezes para conseguirmos suportar pacientemente todas as coisas que acontecem em nossas vidas.
Não se deixe levar por ações e reações que te levem a tomar duras e na maioria das vezes atitudes impensadas, pois, trarão consequências terríveis não somente para o seu futuro mas, que podem refletir um presente não muito louvável.
Peça a DEUS alto controle de seu temperamento para que você a cada dia possa exercer a PACIÊNCIA que todos nós precisamos ter.
Seja no trabalho, na faculdade, na escola, em casa com a familia e na igreja com os irmãos.
Ser LONGÂNIMO e também saber aguardar a oportunidade surgir.
É saber esperar a hora certa das coisas acontecerem, pois, esquecemos que além de nossas próprias razões e vontades o que DEUS quer para as nossas vidas é o que realmente precisamos focar.
Aprenda a ser LONGÂNIMO em todo o tempo!

by:mangasafra

domingo, 24 de junho de 2012

Fruto do Espírito - parte 3

Oi gente!
Continuando a falar d oterceir o'gomo' do Fruto do Espírito.

Vamos lá falaremos da PAZ.

"O Senhor levante sobre ti o seu rosto, e te dê a paz."
Números 6. 26
A paz é um fruto libertador, que não segura o outro, não é possessivo, que deixa ir. "Vai-te em paz". "Uma amizade que deixa o outro seguir, invoca a paz, abençoa".

Bom, falando desse terceiro 'gomo' é importante ressaltar que devemos viver todos os dias cada uma dessas partes do Fruto do Espírito.

Falando da PAZ d eum modo bem direto...

Em nosso dia a dia e através de nossas lutas, aprendemos a lidar com divisões e a manter o delicado equilíbrio da harmonia entre os membros. É muito importante uma liderança unida.

Deus abençoa igrejas harmoniosas. Deus não pode abençoar uma igreja na qual há maledicência. O Senhor ama seu povo, mas a Bíblia diz a que ele odeia quem semeia contendas no corpo de Cristo (Pv 6.19). Jesus pediu a Deus que tivéssemos harmonia. "A fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste" (Jo 17.21).

A divisão extermina o evangelismo. Se desejarmos que a igreja cresça, deve haver harmonia entre os líderes e os membros.

Entendo que há quatro ameaças básicas à unidade da igreja:

Falsas doutrinas Uma doutrina falsa e popular que ameaça a unidade da igreja são as Teologias que desprezam os princípios bíblicos. Paulo advertiu os presbíteros de Éfeso: "Eu sei que, depois da minha partida, entre vós penetrarão lobos vorazes, que não pouparão o rebanho. E que, dentre vós mesmos, se levantarão homens falando coisas pervertidas para arrastar os discípulos atrás deles. Portanto, vigiai" (At 20.29-31).

Espírito Legalista Algumas teologias desejam mudar tudo, mas os legalistas se recusam a fazer qualquer mudança. Na igreja, os legalistas geralmente têm dificuldade de discernir entre o método e mensagem. È necessário fazer concessões e respeitar a tradição de outras pessoas. Precisamos nos esforçar ao máximo para não causar divisão no corpo de Cristo. O desafio então é encontrar uma maneira de preservar os legalistas sem permitir que eles controlem a igreja. Para tal, temos de lembrar os seguintes princípios: compreender a resistência natural do ser humano diante das mudanças; determinar se há base bíblica ou se é apenas uma questão de tradição; fazer mudanças substanciais, porém, aos poucos; analisar a situação de maneira realista. 
Críticas Uma das maneiras mais fáceis de dividir o corpo de Cristo é criticando constantemente os líderes da igreja. Críticas constantes e maldosas são letais. Elas apagam o entusiasmo, abafam a criatividade, desanimam a liderança e apagam o Espírito na igreja.

O ego A principal causa de divisões na igreja hoje em dia é o orgulho. As pessoas se gabam de sua influência e status, de tal forma que, quando ameaçamos sua posição, compram briga conosco.

Para garantirmos a harmonia devemos: manter o ego sob controle; ser flexíveis; ter senso de humor; respeitar os líderes; se possível, evitar polêmicas; se necessário, enfrente as pessoas que causam divisão; termos uma atitude de servo; estar sempre pronto para perdoar.A Bíblia diz que a paz é o fruto do Espírito (Gl 5.22). Se nosso Pai celeste se entristece quando brigamos, certamente ficará alegre em nos ver preservando a harmonia na igreja.

 by:mangasafra

sábado, 23 de junho de 2012

Por Trás Das Malhadas.

Oi gente!
Acredite, pois, você é ungido de Deus!

O homem segundo o coração de Deus, chamado Davi, reúne em si grandes lições, aplicáveis aos que querem agradar a Deus. Davi, em hebraico “amado”, teve o privilégio, de ser escolhido para que de sua descendência surgisse O Enviado as Nações como Salvador: Jesus, O Messias. Por este motivo, vemos as referências nos Evangelhos e Epístolas: “Jesus, filho de Davi” Mt 9:27, 12:23 e Rm 1:3.

Saber que um homem tão especial para Deus, também cometeu erros, me conforta. O que não significa ter que errar para ser amado, mas que “O amor cobrirá uma multidão de pecados! I Pe 4:8. Certa feita, Davi indagou: “Quem sou eu, Senhor Deus? E qual é a minha casa, para que me tenhas trazido até aqui? I Cr 17:16.

O certo, é que Deus enxergou Davi enquanto ele apascentava ovelhas. Em sua solitária missão, ele olhava para os montes e conversava com Aquele que sabia ser o Criador. No campo, tocava harpa enquanto algumas ovelhinhas se acomodavam aos seus pés. O pastor Davi, as amava como a própria vida. Não importava o tamanho nem a força do animal que se aproximava do rebanho, ele enfrentava. I Sm 17:34. Sua vida pelas ovelhas. A família
não compreendia porque ele passava tantas horas no campo. Mesmo sem compreender, já haviam se acostumado. Apascentando as ovelhas ele se realizava.

 Escolhendo um Rei na Casa de Davi

Designado por Deus para a missão de ungir o futuro Rei de Israel, o profeta se dirige a Belém de Judá. Ao ver a família de Jessé reunida, em seu coração, elege Eliabe, que em hebraico significa “Pai poderoso”. Sua aparência era tão imponente quanto o significado de seu nome, ele impressionou Samuel: “Certamente está perante o Senhor o seu ungido” I Sm 16:6. O que Deus responde a Samuel se traduz na essência do Reino celestial: “Não olhes para a aparência, mas para o coração, a este tenho rejeitado” I Sm 16:7, 8. O coração é a realidade do ser. Nós somos o espelho que traduz essa realidade. Eliabe tinha uma moldura esplêndida, mas suas ações e gestos eram reprováveis. Ele não compreendia as coisas do alto Era um homem carnal

Por Trás da Malhada

Imagino Jessé preparando os filhos para a chegada de Samuel: a melhor roupa, recomendações de comportamento e Davi... excluído. Teriam dito para ele: “Amanhã, receberemos um profeta de Deus em nossa casa, não temos com quem deixar as ovelhas. Você ainda é muito jovem, certamente um de seus irmãos será o escolhido”. E de madrugada ainda, Davi parte para o campo com mantimento para um dia de trabalho. A caminho conversa baixinho com Deus: “O Senhor é a minha força, sei que me vê”. Aleluia!

Por trás da malhada, Davi profetizava seu futuro: Cada ovelha, um irmão israelita, sob seus cuidados. Tosquiava, alimentava, resgatava. O rebanho era grande, mas chamava cada ovelha pelo nome. Com carinho as tratava. Conhecia o estado do rebanho. Um grande homem, de nobre coração, a quem sua família teimava em não conhecer.

O Chamado

Enquanto os irmãos de Davi desfilavam para Samuel, ele dançava para Deus. Os olhos de Deus estavam sobre ele: “Samuel, não escolhi a nenhum desses, mas ao mais moço, manda chamá-lo” I Sm 16:11. E quando Davi enxerga o mensageiro ofegante, seu coração se enche de alegria, o caminho de casa naquele dia se tornou mais curto, o amado do Senhor parecia flutuar em direção ao seu chamado: “Levanta-te Samuel, unge-o, porque é este mesmo” I Sm 16:12. E ali, perante toda sua casa, o jovem ruivo, de formoso semblante, desprezado pelos irmãos, se torna Rei de Israel!" Eu te tirei do curral, de detrás das malhadas, para que fosses chefe do meu povo Israel. E estive contigo por toda parte, por onde foste" I Cr 17:7,8.

Deus te escolheu como vencedor

Gosto do versículo de Jeremias: “Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o Senhor, pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que esperais” 29: 11. Foi um dos primeiros que memorizei, costumava repeti-lo para fortalecer meu espírito. O mundo e o diabo tentam roubar de nós o maravilhoso dom da felicidade. Diariamente, põe diante de nós situações de derrota, para que nos acomodemos aos desígnios naturais. Mas, Deus, fala diferente. Mesmo que estejamos na pior das situações, Ele tem um plano e anseia colocá-lo em prática, como fez a Davi.

Desprezado pelos irmãos, excluído dos privilégios, o menor entre todos: Deus o via, e deu a última palavra: “Te escolhi, para ser Rei”. Nada pode impedir o sucesso do homem que tem um coração transbordante de bondade e gratidão a Deus. Os homens carnais não compreendem os sobrenaturais I Cor 2:14. O galã Eliabe, não levava Davi a sério, tratava-o como um incapaz. Davi cheio de fé se preparava para combater o gigante Golias, quando Eliabe diz: “O que estás fazendo aqui? Com quem deixaste as ovelhas? Bem conheço a tua presunção, e a maldade do teu coração, que desceste para ver a peleja”I Sm 17:28. Como pode,?! Ele viu Davi ser ungido por Samuel! Eliabe era desprovido de entendimento.

Se nossa família, ou quem quer que seja não consegue enxergar a nossa importância, não desanimemos. Deus reconhece. Ele é um Pai justo e perfeito, que jamais despreza seus filhos. Deus nos chamou para vencer. Tirando-nos de detrás das malhadas: Um lugar onde nossos corações são transformados para servir e adorar. Davi, ao sair das malhadas, ainda precisou aprender muitas lições até assumir o trono. As vitórias, conquistas, não acontecem do dia para noite. É preciso tempo e preparo. Mas Deus tem a conta dos dias. Ele transforma a vida dos que se dispõe a manter um relacionamento íntimo e sincero com Ele. Que assim seja para com você. Que as malhadas, sejam o começo de uma duradoura vida de vitórias.
 
by:mangasfara

Fruto do Espírito - parte 2

Oi gente!
Vamos continuar a falar do 2° 'gomo' do Fruto do Espírito.

Vamos lá falaremos da ALEGRIA

Quem é que não gosta de ser feliz, né?
Sorrir e cantar, pular e brincar, ainda mais quando se fala de criança.
Quem não gosta de ter prazer na vida. Em desfrutar de coisas boas para si e para a sua família.
Pois bem, a ALEGRIA proporciona esse prazer gostoso em nós e que nos faz setir-se bem.
Mas quero dizer a você querido leitor que existe uma AELGRIA superior a essa 'ALEGRIA' que tanto conhecemos.
A ALEGRIA do SENHOR. Aleluia!

Neemias_8:10.
“... A Alegria do Senhor é a nossa força”.

Do ponto de vista psicológico: O indivíduo não pode experimentar a alegria enquanto está preocupado com sua própria segurança, prazer ou interesse.
Há estudos sobre enfermidades emocionalmente induzidas que afirmam que 85% de doenças de nossos dias tem causas emocionais. Um indivíduo preocupado em si mesmo a ponto de não colocar de lado suas defesas e formar amizades profundas ou corresponder à vida de modo espontâneo experimentará pouca ou nenhuma alegria. A insegurança e desconfiança causam enfermidades reais. Comprimidos ou qualquer outra alternativa nunca curarão a amargura de espírito.

A alegria e o bom humor é remédio (Pv 17:22, Is 61:3), somente Cristo pode mudar o pranto em alegria (Sl 16:11; 30:11; Is 35:10; Jo 15:11).

Definição: ALEGRIA pode subentender qualquer grau de bem-estar, desde o simples contentamento ou ausência de tristeza, até a experiência mais intensa de alegria ou realização.

ALEGRIA do ponto de vista bíblico: É um sentimento mais profundo do que a dor ou prazer, não é limitada pelas circunstâncias externas nem vinculadas exclusivamente a elas. A ALEGRIA É UM DOM DE DEUS.

Entendo a ALEGRIA...

* A alegria vem àqueles a que são perdoados os pecados: As pessoas podem tocar tambores, cantar e dançar, mas se seus corações estiverem vazios sua alegria não será permanente. A alegria verdadeira tornar-se uma possibilidade real somente quando o homem tem um relacionamento apropriado com Deus.(Lc 10: 20). A alegria é resultado final de nossa salvação, é a manifestação exterior de um bem-estar íntimo.
* A alegria vem àqueles que aprendem como se relacionar com outras pessoas: Pode ser dito que um indivíduo é rico ou pobre de acordo com a qualidade de seus relacionamentos pessoais. A fé cristã sempre foi relacional, Deus se relaciona conosco pela graça mediante a fé, e nos capacita a nos relacionarmos uns com os outros, em amor.
* A alegria vem àqueles que possuem verdadeira sabedoria: O indivíduo que possui uma verdadeira sabedoria refletirá um equilíbrio sadio em sua vida (Fl 4:5-9). Tal equilíbrio inclui uma profunda aceitação de si mesmo, dos outros e da vida (12). O indivíduo sábio não se dedica a questões superficiais, nem periféricas, a sua vida é uma vida de fé, admiração, gratidão e esperança.

Bom amados, o que podemos aprender com a ALEGRIA é que ela vinda do SENHOR para as nossas vidas não importam as circunstãcias ou dificuldades, pois, a ALEGRIA do SENHOR será a nossa motivação, o nosso ânimo, a nossa força. Aleluia!
O mundo proporciona uma 'falsa ALEGRIA', pois, da mesma forma que ela chega ela se vai.
Mas a ALEGRIA vinda de DEUS ela não somente nos fortalece mas, também juda àqueles que amamos e estão à nossa volta. Porque, a ALEGRIA de DEUS é uma prática de vida dos SEUS servos e por este motivo torna-se um hábito, ou mesmo, uma Filosofia de vida, já que, JESUS CRISTO é a nossa Razão e Estilo de vida.
Que a ALEGRIA seja abundante em suas vidas amados de DEUS, pois, é um Fruto do Espírito que tem que ser constante em nossa vidas!

by:mangasafra

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Fruto do Espírito - parte 1

Oi gente!

Já ha algum tempo não tenho postado alguns estudos, póis, tive alguns contratempos mas, daremos início a um pequeno estudo sobre algo que é tão importante e necessário para as nossas vidas mas, que não damos a devida atenção e importãncia. O Fruto do Espírito!

Bom, antes de mais nada tempos que entender que imaginar de forma simples como seria o Fruto do Espírito vamos lá mas, antes de mais nada precisamos lembrar que se existe o Fruto do Espírito também existe as obras da Carne e que não são poucas.
Vejamos o que diz as Escrituras:

Gálatas 5:16 ao 21
- Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne.
- Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis.
- Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei.
- Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, - Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias,
- Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.

Diante dessas obras todas listadas e que de forma bem clara expressão o descontentamento de Deus com quem tais as praticam.
As obras da CARNE são exatamente o oposto de tudo aquilo que o SENHOR expressa como caráter Divino, pois, além de PECADO as obras ferem agressivamente o caráter de DEUS quando pensamos que o SENHOR não dá importãcia para que elas deixem de ser praticadas em nossas vidas. 
As Obras da CARNE atingem diretamente nós seres humanos, pois, são diretamente destruídoras da obra de DEUS em nós, ja que, as Obras da CARNE somente servem para nos distanciar e sentenciar a morte Eterna.
Fugir e nos distanciar de todos esses 'venenos' que nos matam é a única forma de garantirmos a nossa Santidade diante do nosso DEUS, pois, fugir de toda aparência do mal é ainda o nosso escape.
 

PERIGO... FUJA DAS OBRAS DA CARNE! 

Voltando novamente a falar doFRUTO do ESPÍRITO vamos procurar entendê-lo, pois, o SENHOR nos deixou como prática de vida cristã.

Gálatas 5:22 e 23 
- Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. 
- Contra estas coisas não há lei. 

Maravilha de DEUS! 
Como expressar a grandeza de Deus se não através de sua SANTA PALAVRA. Aleluia!
Bom, amados com base em Gálatas vamos dar início ao nosso pequeno Estudo Devocional.
Pois bem, o PRIMEIRO Fruto 'gomo' do Fruto do Espírito que estudaremos será o AMOR.
Mas, antes de começarmos só para exclarecer melhor.
Enquanto as Obras da CARNE são 17 listadas na PALAVRA fora outras coisas semelhantes que o coração do homem é capaz de forjar.
O Fruto do Espírito é apenas um que se subdivide em 9.
Como se fosse um fruto com gomos que eu citei logo ai a cima.
Para simplificar ao máximo o Fruto do Espírito seria como uma Tangerina (um único fruto que se subdivide em vários gomos).

Vamos lá falaremos do AMOR ou CARIDADE.

Algo tão PRECIOSO mas, não lhe é dado o devido valor.

Existem três tipos de amor:
1- AMOR AGAPÉ
2- AMOR FILEO
3- AMOR EROS 

Vamos começar do ultimo para o priemiro.

3- AMOR EROS
Está relacionado com a parte sensual e sexual do ser humano.
O amor entre Homem e Mulher.
Dois seres sexualemnte distintos.
Amor Heterosexual.
Hoje em dia o AMOR EROS está banalizado, pois, a pratica do Homosexualismo tenta confundir esse tipo de amor.
Deus ama o PECADOR mas, reprova o pecado praticado.
 Quando se fala de amor, logo se pensa em sexo. Isto se deve ao fato de, nos últimos anos, os filmes retratarem o sexo como " fazer amor. "
Bem, não há mal nenhum no sexo. Deus o criou para ser usado no contexto honesto do casamento.
Preciamos enteder que o AMOR EROS além do relacionamento sexual ele envolve oalgumas caracteristicas tais como: Respeito, Fidelidade, Confiança, Amizade e etc.

 2- AMOR FILEO
 Está relacioando ao Amor Humano.
A pessoa retribui o amor na medida de amor que recebe. Muitas pessoas dizem: Eu amo-te se me deres um bom salário; Eu amo-te se me fizeres ... bons e grandes favores ...
As pessoas amam-se umas as outras de acordo com os favores que recebem dos outros. Por vezes dizem assim: "se alguém me fizer bem, eu gosto dele, se não não gosto dele"; sou simpático para quem for simpático primeiro para mim ..."

ALGUNS EXEMPLOS deste tipo de Amor
Mães - Segundo a opinião de muitos, o amor de mãe é o amor mais puro. No entanto, pode antes ser um amor bastante egoísta!

As mães protegem e decidem de tal modo a vida dos seus filhos, que mesmo que eles atinjam a maioridade continuam a ser os bebés da mãe quer tenham 5 meses, 5 anos ou 50 anos.Uma vez uma senhora pediu-me: " Pastor, ore pelo meu bebé, coitado! ". Logo pensei num bebé de colo! Quando ela trouxe o dito bebé, ele tinha só 27 anos ...

Famílias - Existe um amor mais profundo, mais compreensivo, que o amor normal, superficial que outras pessoas experimentam.

Entre casais, verificamos o seguinte: enquanto namoravam o coração deles batia, batia ... Depois casam: o coração ainda bate um bocado até que se habituam à ideia e deixa de bater. Passados uns anos, se as meias estiverem fora do sítio ou o arroz queimado, parece que o amor voou, fugiu naquele dia. O marido já não trata a sua esposa com muitos beijinhos; a esposa já não parece muito contente.
Muitas esposas quando estão zangadas com o marido dão-lhe o tratamento do silêncio. O marido pergunta-lhe qualquer coisa, fala com ela, e ela ... nada ... fica calada (amuada). Este tipo de amor chama-se FILEO.

O AMOR FILEO vai tratar do amor entre pessoas.
Sabemos que muitos dizem que ama como nesses exemplos acima mas, o amor FILEO expresso de verdade podemos tomar como exemplo a clássica passagem Bíblica do Bom Samaritano.

Lucas 10:30 ao 37
- E, respondendo Jesus, disse: Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos dos salteadores, os quais o despojaram, e espancando-o, se retiraram, deixando-o meio morto.
- E, ocasionalmente descia pelo mesmo caminho certo sacerdote; e, vendo-o, passou de largo.
- E de igual modo também um levita, chegando àquele lugar, e, vendo-o, passou de largo.
- Mas um samaritano, que ia de viagem, chegou ao pé dele e, vendo-o, moveu-se de íntima compaixão;
- E, aproximando-se, atou-lhe as feridas, deitando-lhes azeite e vinho; e, pondo-o sobre a sua cavalgadura, levou-o para uma estalagem, e cuidou dele;
- E, partindo no outro dia, tirou dois dinheiros, e deu-os ao hospedeiro, e disse-lhe: Cuida dele; e tudo o que de mais gastares eu to pagarei quando voltar.
- Qual, pois, destes três te parece que foi o próximo daquele que caiu nas mãos dos salteadores?
- E ele disse: O que usou de misericórdia para com ele. Disse, pois, Jesus: Vai, e faze da mesma maneira.

Que tremendo, não acha?
Enquanto nós usamos de Hipocrisia dizend oque amamos o próximo, quando na verdade não amamos nada.
Quando somos confrontados logo, percebemos o quanto somos mentirosos.
Ame de verdade, pois, um dia você pode estar no lugar do Homem que o Samaritano ajudou.

1- AMOR AGAPÉ
Está relacioando ao Amor de DEUS.
O AGAPÉ, é o amor de Deus. É incondicional, não está dependente de uma resposta positiva: Eu amo-te, se tu me amares também.
Não! O amor de Deus diz: Eu amo-te, mesmo que tu me rejeites, que fales mal de mim, que me persigas, que tu me faças mal.
Este amor diz: Eu amo aquela pessoa de qualquer geito, tal e qual como ela é. Eu amo aquela pessoa quer ela me tenha feito bem ou não quer ela me venha a fazer bem ou não.
É um amor que não é baseado nos sentimetos, nem em interesses pessoais. Veja que Jesus o amou a si, mesmo sem você O amar. Nós faziamos coisas desagradáveis aos seus olhos, porém, ele continuou a amar-nos esperando que um dia, nos reconciliassemos com Ele, e fizessemos a Sua Vontade.

O Amor Agapé considera uma pessoa valiosa e preciosa independente-mente, da sua maneira de ser, daquilo que ela é ou faz.

João 3:16

- Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
Maior prova de AMOR do que esta não existe!

Assim aconteceu há 2.000 anos atrás. Jesus não era condenado, nem tão pouco prisioneiro. Ele era livre, mas nós estavamos condenados. Ele tomou sobre si a nossa condenação e deu-nos a sua liberdade. Ele morreu em nosso lugar, desceu ao inferno no nosso lugar. Mas, ao ressuscitar Ele venceu o nosso opressor (o diabo). Hoje, todo aquele que recebe Jesus passa da condenação para a liberdade, da morte para a vida. Este é o Tipo de Amor de Deus.
O amor é muito paciente e bondoso, nunca é invejoso ou ciumento, nunca é presunçoso nem orgulhoso, nunca é arrogante, nem egoísta, nem tão pouco rude. O amor não exige que se faça o que ele quer. Não é irritadiço, nem melindroso. Não guarda rancor e difícilmente notará o mal que outros lhe fazem.
Nunca está satisfeito com a injustiça, mas se alegra quando a verdade triunfa.

Se você amar alguém, será leal para com ele, custe o que custar.
Sempre acreditará nele, sempre esperará o melhor dele, e sempre se manterá em sua defesa.

O AMOR ÁGAPE é o perfeito Amor, pois, ama-se não pelo que tenha mas, pelo que é.


by:mangasafra