Seja bem vindo!

●๋•__ Grandes realizações tiveram início com apenas um sonho e era que um dia este sonho se tornaria realidade. Então, vá em frente e acredite! Ouse sonhar!__ °.•

sexta-feira, 28 de junho de 2013

No Caminho Para Damasco

Oi gente!
Passarmos por Damasco é necessário, pois, esse caminho nos leva a Conversão!
Damasco simbolicamente representa um trajeto que todos nós cristãos verdadeiros precisamos passar, pois, foi nele que o apóstolo Paulo que outrora se chamava Saulo passou e teve um verdadeiro encontro com Jesus Cristo que se tornou o autor e consumador de sua Fé.
Leiam...

No caminho para a cidade de Damasco surgia a conversão de Saulo de Tarso ao cristianismo, quando este adota o nome Paulo e sai em peregrinação para pregar ou contar a boa nova aos gentios, os não-judeus. Sem as andanças de Paulo e suas pregações com certeza o cristianismo não teria chegado aonde chegou, não teria a força que tem e talvez nem existisse. Não cabe aqui discutir se Paulo estava alinhado com o que os apóstolos pregavam ou se fez ou não modificações ao que Jesus teria dito. Estamos aqui para falar de sua conversão e do que podemos entender por conversão.
 
Vejam bem, Saulo, como é descrito no livro dos Atos dos Apóstolos, era um feroz opositor às idéias da seita que crescia no interior da instituição judaica. Caçava e prendia os seguidores da tal seita que espalhavam suas idéias insidiosas e subversivas. Estava a caminho de Damasco quando teve a revelação que determinou o curso de sua vida a partir de então. E esta revelação foi algo tão grandioso que o fez cair de joelhos. Foi como se algo maior que a vida simplesmente se fizesse conhecido. Algo que sua mente não podia então compreender em sua totalidade. A visão que teve deixou-o cego, tanto que precisou de ajuda para chegar à cidade onde teria sua visão devolvida por um dos integrantes da seita que perseguira tão ferozmente até então.

Tal experiência mística não é muito bem aceita por Unitários-universalistas em geral. A idéia do mistério, do que está envolto em brumas, não parece muito apreciável ao nosso sempre questionador apetite. Nossa primeira reação pode ser simplesmente desacreditar da experiência alheia como um delírio, uma ilusão, uma brincadeira da imaginação de uma pessoa fragilizada. Filósofos, psicólogos e outros cientistas criaram hipóteses e teorias sobre tais experiências, umas mais aceitas que outras mas uma verdade se mantém: depois de um momento como esse, aquele que experimentou o evento nunca mais volta a ver o mundo com os mesmos olhos.

Vamos brincar um pouco com as palavras e conjecturar sobre o que ocorre num momento desses. Vou lhes dar meu ponto de vista e estou mais que disposta a dividir o seu. Voltemos a nosso amigo Saulo em sua justa missão de expurgar a ameaça que se avizinha, indo a Damasco com seus companheiros. Ele começa a pensar sobre tudo o que vira, sobre tudo o que ouvira e fizera. Começa a pensar no amigo Estevão cuja amizade cultivara desde longa data e que conhecera bem. Amigo este que morrera pelo que acreditavam os tais seguidores do nazareno. 
Em sua caminhada pensamentos começavam a se formar e esvair e novas possibilidades se faziam presentes na mente do fariseu. Tais possibilidades conflitavam com as verdades que tinha para si, com tudo o que fazia dele ele. É então que emerge a verdade incontestável e é uma coisa tão intolerável que nosso Saulo vai ao chão como que se sentindo aniquilado em seu pequeno ser.
A experiência é tão aterradora que sua mente, até então clara se anuvia de tal modo que o mundo não mais faz sentido, trazendo a cegueira como manifestação metafórica (ou até histérica) da confusão que se instala na alma do mais pio. Por mais que seus acompanhantes tentem trazê-lo de volta, a estrada pela qual seguira sua vida até então não mais lhe serviria e o caminho a frente ainda era coberto de névoa, somente sendo descoberto pelas mãos do discípulo Ananias. Daquele momento em diante Saulo não mais podia ser o que fora até então. Surge então Paulo, o “vaso escolhido para levar o seu nome diante dos gentios, e dos reis, e dos filhos de Israel.” Saulo estava morto e renascido como um novo ser.

Pensemos em nossa experiência terrena, mundana. Quantas vezes nossas verdades internas foram desafiadas num nível em que se tornaram tão insustentáveis que nossos seres não mais podiam se apegar a elas e se viram obrigados a abandonar de vez por todas as antigas estradas para novos caminhos trilhar? Falo por experiência própria que hoje não poderia alegar categoricamente tudo que alegava poucos anos atrás. Aquelas verdades já não fazem sentido. Um novo eu nasceu no momento em que isso aconteceu e é disso, a meu ver, que se trata a conversão. O renascimento de um ser numa nova realidade psíquica e espiritual onde as cores e os sons levam necessariamente a novos significados talvez imperceptíveis ou, quiçá inaceitáveis numa existência anterior.

Me lembro especificamente de uma entrevista que ouvi recentemente de um pastor norteamericano que, depois de anos dentro do evangelicalismo e com uma reputação que se estendia por todo o país viu-se obrigado a mudar de ponto de vista ao ver cenas de crianças na África. Ele perguntou a Deus como aquelas pessoas que sofriam tanto podiam ser mandadas para o inferno simplesmente por não ter tido acesso à Palavra. Ele recebeu a resposta. Ouviu a voz de Deus lhe perguntando se era isso que pensava que Ele queria para seus filhos. O pastor concluiu que o inferno como pregara até então simplesmente não podia existir e que os homens fazem o inferno na Terra, no aqui e agora. Sua reputação foi pelo ralo quando declarou suas novas convicções. Sua congregação que antes contava com mais de dois mil membros esvaziou e as pessoas que chamava de amigos o evitavam. Hoje ele defende um ponto de vista muito parecido com o nosso e sua pequena congregação luta para sobreviver. Ele sabe que seu ser é um ser renovado e que terá de enfrentar ainda muita resistência para ser ouvido, do mesmo jeito que Paulo enfrentou.

Contudo essa experiência não tem, necessariamente, que nos consumir como consumiu Saulo/Paulo – não que elas não sejam possíveis. Acredito que pequenas conversões aconteçam conosco com mais freqüência do que possamos perceber: um sentimento que aflora, um fato que descobrimos, uma visão que toma nossa consciência. Nossos seres, enquanto unitários-universalistas acostumaram-se, percebo, a uma certa fluidez que permite-nos convertermo-nos, talvez, com muito menos estresse que daquelas pessoas, de personalidade mais rígida, que possuem tanta certeza sobre o que se lhes apresenta enquanto realidade.
Encerrando, peço que durante seus dias tentem refletir sobre como essas pequenas e grandes conversões nos trouxeram até o ponto em que estamos agora. Tentem lembrar-se da dificuldade e da dor que o parto desse novo ser que nasceu em vocês representou e nas inúmeras possibilidades que esse novo ser tem pela frente. A cada dia. A cada manhã.

Por Extraído da Internet
by:mangasafra

quinta-feira, 20 de junho de 2013

A mentira da imprensa sobre a ‘cura gay’

Oi gente!
Precisamos estar de olhos bem abertos, pois, cada vez mais o MUNDO está apoiando o PECADO.
Leiam...

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara aprovou nesta terça-feira (18) o projeto de lei que determina o fim da proibição, pelo Conselho Federal de Psicologia, de tratamentos que se propõem a tratar a homossexualidade. A sessão foi presidida pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP), depois de várias semanas de adiamento por causa de protestos e manobras parlamentares contra o projeto.
De autoria do deputado João Campos (PSDB-GO), a proposta suspende dois artigos de uma resolução de 1999 do conselho. Um deles impede a atuação dos profissionais da psicologia para tratar homossexuais. O outro proíbe qualquer ação coercitiva em favor de orientações não solicitadas pelo paciente e determina que psicólogos não se pronunciem publicamente de modo a reforçar preconceitos em relação a homossexuais.

Pr. Silas Malafaia comenta...

É um absurdo, uma afronta à inteligência humana, como a imprensa brasileira na sua grande maioria engole tudo o que o ativismo gay promove, como verdade absoluta, sem o mínimo de análise imparcial, sem ao menos buscar a opinião de partes contrárias, como se a verdade absoluta pertencesse ao ativismo gay.

Vejamos:


1) O projeto não visa curar ninguém. E pelo que me consta, a psicologia não se utiliza deste termo “cura”.

2) O projeto tem a ver com Direitos Humanos. Nenhuma entidade de classe profissional, religiosa ou quem quer que seja, pode impedir uma pessoa de buscar ajuda se ela assim desejar e decidir. O que o Conselho Federal de Psicologia fez ao impedir que psicólogos tratem de homossexuais que vão pedir ajuda sobre a sua sexualidade, é uma afronta a Constituição e a própria ciência. Por que um heterossexual pode pedir ajuda a um psicólogo sobre sua sexualidade e um homossexual não? Em que parâmetros científicos e também legais você pode impedir um profissional de ajudar quem o procura?

3) O Conselho Federal de Psicologia está ideologizado pelos “esquerdopatas” e pelo movimento gay. Pasmem os senhores: NENHUM CONSELHO OU SOCIEDADE DE PSICOLOGIA NO MUNDO TEM UMA RESOLUÇÃO TÃO IMBECÍL E ESDRÚXULA COMO ESTA. Em nenhum lugar do mundo o psicólogo é impedido de tratar quem o procura. É vergonhoso ver as ciências humanas virarem ciências exatas e servir ao ativismo gay.

4) Um princípio que rege o atendimento profissional a pessoas na área das ciências humanas é que o indivíduo é quem decide se quer ajuda ou não. Em hipótese alguma o terapeuta.

5) Uma outra questão: quem falou que o ativismo gay tem o monopólio do homossexualismo? É a mesma coisa se nós, pastores evangélicos, tivéssemos o monopólio dos evangélicos e por consequência o poder de determinar se um evangélico pode ou não pedir ajuda a um psicólogo porque esta com problemas em relação a sua religiosidade. Claro que nem os ativistas gays, nem nos pastores, temos o monopólio sobre ninguém. É uma afronta aos direitos de cidadania! A pessoa é livre, seja homo, hétero, católico, evangélico e etc, de pedir ajuda a quem quiser.

6) A safadeza da questão é que querem passar para a sociedade como se alguém estivesse obrigando os homossexuais a mudarem o seu comportamento, porque todos nós sabemos que qualquer psicólogo e médico que queira impor um tratamento a uma pessoa que não o deseja, é passivo de punição.

7) A verdade é a seguinte: homossexualismo é um comportamento que um indivíduo pode desejar ser ou não ser, da mesma forma que a religiosidade também é um comportamento do ser humano que ele pode deixar de ser ou vir a ser da religião que ele bem quiser. 
DIREITOS HUMANOS JÁ! LIBERDADE EXPRESSÃO JÁ!

Por Extraído da internet
http://www.verdadegospel.com/a-mentira-da-imprensa-sobre-a-cura-gay-pr-silas-comenta/?area=1

by:mangasafra

quinta-feira, 13 de junho de 2013

O Pecado da Masturbação

Oi gente!
Bom, quero compartilhar um texto muito interessante sobre um e-mail e uma resposta referente ao PECADO da Masturbação.
Um assunto bem delicado de se tratar, pois, envolve uma série de contestações sociais e religiosas.
Mas uma coisa é certa, pois, por se tratar de PECADO é mais do que uma questão social, mas sim, espiritual.
Leia e entenda a respeito deste tema que afeta homens e mulheres no mundo todo.

 e-mail: Anônimo.
Gostaria que vcs me orientassem, pois estou muito fraco na fé por causa disso, sabendo que Deus é maravilhoso e bom, separei há quase 4 anos,e me converti logo em seguida,mas no inicio estava me masturbando,e o senhor falou pra eu não fazer isso,parei de faze-lo durante uns três anos, mas não estou agüentando. Agora, basta eu olhar para uma menina que já tenho uma ereção. Isso me deixa muito chateado, pois nem mesmo penso em sexo e fico muito triste com isso, não sou mais um menino, já tenho 31 anos e tive uma vida sexual muito ativa, mas tenho medo de me distanciar de Deus, pois acho que entristeço ao Espírito Santo de Deus com tais atitudes. O que eu faço para que isso não aconteça? O Senhor é extremamente maravilhoso e eu o amo, mas eu estou realmente pensando em me casar pra não pecar. O que eu faço????

RESPOSTA...

"Digo, porém: Andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne. Porque a carne milita contra o Espírito e o Espírito contra carne porque são opostos entre si; para que não façais o que porventura seja do vosso querer." (Gal. 6:16-17)

A Bíblia fala que é melhor casar do que se abrasar. No entanto, se pressupõe ai que se está namorando ou noivando alguém, se esteja abrasado com esta pessoa e, aí sim, deve-se se casar com ela, se essa for a vontade de ambos e acima de tudo, se houver amor. Se você não ama, não deve se casar. Melhor que acabe o relacionamento, uma vez que a Bíblia também diz que se seu olho (ou namorada, ou noiva) te faz pecar, melhor arrancar o olho e entrar no céu caolho do que ir pro inferno com a visão perfeita.

Seu e-mail não sugere que você nem ao menos esteja namorando e nesse caso, casar apenas para deixar de se masturbar não parece uma boa idéia. O ideal é você cessar com esse hábito antes de se casar. Sua vida espiritual vai melhorar, e com certeza, você será um melhor marido. Afinal, que esposa gostaria de saber que seu marido tem seus melhores momentos sexuais quando está sozinho, pensando em - sabe-se lá - quem?

A masturbação é um pecado como qualquer outro. Se há arrependimento sincero e você pede perdão a Deus, você está perdoado. Só que não termina aí. Para que ele não se repita você deve crer sinceramente que quando aceitou a Cristo foi liberto do poder e das garras do pecado. No entanto, a vontade vai continuar, porque a vontade de pecar é inerente ao ser humano. A carne milita contra o Espírito. E é contra essa vontade da carne que você deve lutar e vencer em Cristo. Porque a verdade é essa: Cristo já venceu o pecado por você! Aleluia!

Vamos recapitular. Quando você pede perdão a Deus (isso se estiver realmente arrependido; se for remorso, não serve. O remorso não inclui o desejo sincero de não repetir o pecado, apenas a culpa por tê-lo cometido. O arrependimento, sim.) você está perdoado e o diabo não pode mais acusá-lo pelo que você fez. Você está limpo. Mas como não voltar a pecar?

Quando aceitamos a Jesus, o Espírito Santo de Deus entra em nossa vida e dentro de nós. E ele dá em nós o seu fruto. "Mas o fruto do Espírito É: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio." (Gal.5.22-23) E cada um desses itens é um gomo do fruto do Espírito Santo. Cabe a você escolher o que vai comer.

Para vencer a vontade de se masturbar, você deverá utilizar seu domínio próprio. Ele já existe dentro de você. A vontade é como dois cachorrinhos que se possui. Um, o cachorrinho branco, é um bom cãozinho. Obediente e fiel, ele não dá trabalho a seu dono, só alegrias. O outro, um cachorrinho amarelo, é um cãozinho mau, perigoso e arisco. Ambos seguram um corda entre si, como num cabo de guerra. Se você der comida ao amarelo mais do que ao branco, quando este puxar a corda, por mais que o cãozinho branco faça força não poderá deter o puxão do outro, forte e bem nutrido.
Ele sucumbirá. O cãozinho mau vencerá.

A mesma coisa acontece com sua vontade. Você tem a vontade de fazer o que é bom e reto aos olhos do Senhor. No caso, não se masturbar ou ficar excitado todas as vezes que vê uma mulher bonita. Mas existe a sua outra vontade, de ter prazer com a masturbação, aquela que diz que você é fraco e é impossível lutar contra sua carne. Se você quer vencer essa vontade, tem de alimentar-se do que é bom.

1. Estudando a Palavra de Deus (em casa e no culto).

A fé vem pelo ouvir, e o ouvir a Palavra de Deus. Por isso, é muito importante que você vá regularmente a igreja e continue estudando a Palavra de Deus em casa. Quanto mais você ler e compreender a vontade maravilhosa do Senhor para sua vida, o tamanho de Seu amor, a extensão de Sua misericórdia e a certeza de sua vitória em Cristo, você estará apto a vencer a tentação e não atender à vontade da carne. Não só porque é pecado, mas acima de tudo porque você não ira querer decepcionar um Deus tão maravilhoso como esse.

2. Vigiando.

"Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca." (Mt.26:41) Pois é, nós somos fracos mesmo. Forte é Cristo e é em Cristo que devemos buscar forças para vencer as tentações. E temos de vigiar. Porque o diabo e a sua carne só estão esperando uma brecha para agir em nossas vidas. Vigiando e orando, o espírito (o cãozinho branco) - que já está pronto - poderá sair vitorioso em mais essa, para glória do nome de Jesus. Vigie para quem você olha. Com que intenção você olha. Por que a intenção - ainda que você diga que não existe esta ai. Ou você acha que só se excita quando olha para meninas - e não para velhinhas - por que?

3. Orando.

" E, da mesma maneira, também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir, como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós, com gemidos inexprimíveis." " E aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que, segundo Deus, intercede pelos santos." (Rom. 8:26 e 28)
Leve ao Senhor suas ansiedades, medos, tentações e fracassos. Apresente ao Senhor suas necessidades e sua vida. Ele está de ouvidos e braços abertos para ajudar-nos no que precisarmos, apenas é preciso pedir. Vigie, mas não cesse de orar e buscar a vontade de Deus para sua vida e o modo de realizá-la em você. O Senhor atende àqueles que o buscam, por isso, busque incessantemente ao Senhor.

4. Pensando nas coisas do alto.

"Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo que é justo, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento." (Fil.4:8) Mantenha seu pensamento nas coisas de Deus e em assuntos sadios. Pensar em como é bom se masturbar, como é bom ter sexo, como é atraente a garota que passa, como fulana e maravilhosa e como eram suas noites quando casado não vão ajudar em nada. Se esses pensamentos chegarem à sua mente, ocupe-se fazendo algo saudável. De leitura da Bíblia apalavras cruzadas, passando por ligar para um amigo, ouvir um CD de louvor ou lavar o carro, tudo é válido. O Senhor já venceu a batalha para você, mas você tem de fazer a sua parte. Não pode dar brecha.

5. Ocupando seu tempo com algo produtivo.

Parece óbvio, bem como aquela frase que nossa mãe dizia "mente vazia, oficina do diabo". Pois é, mãos vazias também é oficina do diabo. Ocupe seu tempo. Se você costuma se masturbar toda noite, enquanto vê a novela, ou antes de tomar banho, preencha o seu momentos livres de tal forma que não sobre tempo. Leia a Bíblia, navegue na Internet (fique longe de sites pornográficos e afins), leia um livro cristão, assista a um filme na tv, faça exercícios, tome um banho frio, vá ao supermercado... faça o que for preciso para se manter ocupado. Arranje tantas coisas para fazer que no final do dia, você só terá vontade de orar e dormir. Se você estiver ocupado o bastante, você poderá até querer se masturbar mas não terá tempo.

6. Usando o "Só por hoje".

Os alcoólatras anônimos tem um frase muito boa para se manter longe da bebida. Quando sentem muita vontade de beber, eles se dizem assim: só por hoje não beberei. E não bebem. O amanhã, que a Deus pertence, não os preocupa. Só o hoje. Pois bem, faça o mesmo. Quando seu corpo disser a você que precisa muito se masturbar diga a si mesmo: Só por hoje, eu não vou me masturbar. "Engane" sua carne dizendo que não o fará hoje, mas quem sabe amanhã? E no dia seguinte, diga a mesma coisa para ela...infinitamente.

7.Clame ao Senhor.

Todas as vezes que você estiver prestes a se masturbar (e já tiver tentando todas os itens acima), faça o seguinte... Antes de masturbar, dobre os joelhos e fale com Deus. Não se desculpe ou peça perdão pelo pecado que você vai cometer, não, mas fale ao Senhor de sua dificuldade em lidar com o pecado e de como você se sente fraco e de como você precisa de sua ajuda. Dobre os joelhos e clame. Clame pelo sangue de Jesus vertido na cruz, sua força ilimitada, seu consolo constante. Peça a Ele que te dê forças, abra seu coração, confesse sua fraqueza e todos os seus desejos impróprios e confie que Deus lhe dará forças para vencer a tentação. Depois de alguns bons minutos de oração e clamor a Deus, você estará pronto para lutar e vencer a tentação de se masturbar.

"Contra estas coisas não há lei. E os que estão em Cristo Jesus crucificaram a carne, com suas paixões e concupiscências. Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito." (Gal.6:24-25)

Extraído da Internet
by:mangasafra

terça-feira, 4 de junho de 2013

Os 7 acontecimentos que antecedem a grande tribulação

Oi gente!
Esta espécie de estudo que divido com vocês foi extraído da interne e acho muito interessante que aprendamos um pouco mais sobre o Reino de Deus e os acontecimentos que já nos foram revelados e os sinais dos fins dos tempos para que sejamos mais cautelosos evitando assim que sejamos enganados.
Leiam...

Através do sermão apocalíptico de Mateus 24 (que tem seu paralelo tanto em Marcos 13, quanto em Lucas 21) o Senhor Jesus Cristo nos deixou um “RELÓGIO PROFÉTICO”

extremamente detalhado revelando a CRONOLOGIA DOS ÚLTIMOS ACONTECIMENTOS até a sua volta. Tenho trabalhado nos últimos anos alertando as pessoas sobre esses acontecimentos que antecedem a grande tribulação. Desses 7 acontecimentos temos dado ênfase e palestrado especificamente sobre os 3 principais e são eles:

APOSTASIA, HOMOSSEXUALISMO E A MAIOR CRISE FINANCEIRA DA HISTÓRIA.

Visando trazer luz ao povo de Deus sobre esses importantes acontecimentos, estudaremos de forma pontual a partir desse artigo e também das próximas semanas esses 7 acontecimentos que antecedem a grande tribulação. Não tenho dúvidas que, ao longo desse estudo Deus lhe despertará, situando-lhe no TEMPO CORRETO desses acontecimentos de tal maneira que você não apenas fique ciente, mas que principalmente, tome atitudes concretas tanto para o seu benefício como para o bem de sua família e todos aqueles que ama e considera.

Esses acontecimentos que nos revelam a PROXIMIDADE da grande tribulação são:

1) O engano da religião e dos falsos profetas.

2) Guerras entre os países culminando na 3ª Guerra Mundial no Oriente Médio.
3) Catástrofes naturais como terremotos, vulcões e furações.
4) Fomes, pestes e doenças.
5) Apostasia generalizada com conseqüente abandono das igrejas.
6) Homossexualismo, porém diferente do passado, agora endossado pelo Estado a nível mundial.
7) A maior crise financeira que o mundo já viu em todos os tempos.

É importante frisar que o ÚLTIMO ACONTECIMENTO que antecederá a GRANDE TRIBULAÇÃO será um CRISE FINANCEIRA QUE VARRERÁ O PLANETA. Isso está em Apocalipse 6.6:

“E ouvi uma como que voz no meio dos quatro seres viventes dizendo: Uma medida de trigo por um denário; três medidas de cevada por um denário; e não danifiques o azeite e o vinho.” [Apocalipse 6.6]

O quarto selo que é aberto logo em seguida a essa crise financeira, representa a GRANDE TRIBULAÇÃO:

“Quando o Cordeiro abriu o quarto selo, ouvi a voz do quarto ser vivente dizendo: Vem! E olhei, e eis um cavalo amarelo e o seu cavaleiro, sendo este chamado Morte; e o Inferno o estava seguindo, e foi-lhes dada autoridade sobre a quarta parte da terra para matar à espada, pela fome, com a mortandade e por meio das feras da terra.” [Apocalipse 6.7-8]

Para que você possa entender de forma bem didática o que vai acontecer no FUTURO, antes vou lhe levar em uma viagem ao PASSADO, quando o povo de Deus na época, que era a nação de Israel, passou por 3 grandes destruições:

- A destruição do Reino do Norte de Israel pela Assíria em 722 a.C.

- A destruição do Reino do Sul de Israel pela Babilônia em 486 a.C.

- A destruição completa do Reino de Israel por Roma em 70 d.C.

Vamos constatar que, ao longo da história a igreja de Deus no passado, que era a nação de Israel, passou por circunstâncias EXTREMAMENTE SEMELHANTES AOS 7 ACONTECIMENTOS que relacionados acima:

Essas coisas aconteceram em primeira instância pelo afastamento e apostasia do caminho que Deus propusera para o Seu povo e por isso Deus o permitiu, em segunda instância para servir de alerta para as gerações futuras. e em última instância para nos revelar que, quando desejássemos entender o futuro, bastaria olhar para o passado, pois Deus construiu a passagem do homem pela terra ao longo da história de forma cíclica (Eclesiastes 1.9).

Essas destruições são FIGURAS da grande tribulação que se aproxima contra Seu Israel Espiritual de hoje. Essas 3 grandes episódios no passado marcaram a história mundial, e encontram-se registradas nos livros de história,assim como na Bíblia e nos servem de alerta contra a rebeldia e apostasia nos dias atuais. Portanto, podemos e devemos extrair lições poderosas desses 3 eventos que acontecerem contra o povo de Deus no passado.

O povo de Deus nos últimos dias é chamado na Bíblia de Seu “Israel Espiritual” ou como revelado pelo Apóstolo Paulo em Gálatas 6.15-16: “Israel de Deus”

“Pois nem a circuncisão é coisa alguma, nem a incircuncisão, mas o ser nova criatura. E, a todos quantos andarem de conformidade com esta regra, paz e misericórdia sejam sobre eles e sobre o ISRAEL DE DEUS.”

E ele enfatiza e explica isso em detalhes em Romanos 2.28-29:

“Porque não é judeu quem o é apenas exteriormente, nem é circuncisão a que é somente na carne. Porém JUDEU É AQUELE QUE O É INTERIORMENTE, e circuncisão, A QUE É DO

CORAÇÃO, NO ESPÍRITO, não segundo a letra, e cujo louvor não procede dos homens, mas de Deus.”

Logo no início do livro de Jeremias vemos o tratamento carinhoso que Deus tinha com a Sua igreja (nação de Israel) e como a privilegiou com as mais ricas bênçãos, mas infelizmente não foi correspondido (leia Jeremias 2.1-7), e finalmente no versículo 8 vemos o motivo principal da destruição da “igreja”: A Apostasia de seus líderes espirituais:

“Os sacerdotes não disseram: Onde está o SENHOR? E os que tratavam da lei não me conheceram, os pastores prevaricaram contra mim, os profetas profetizaram por Baal e andaram atrás de coisas de nenhum proveito.” [Jeremias 2.8]

Não é justamente o que está acontecendo hoje?

Nos próximos artigos você ficará surpreso em ver que: fome, crise financeira, catástrofes, decadência moral e guerras, pestes e apostasia, não são “privilégios” do nosso tempo e também antecederam as grandes destruições do povo de Deus tanto em 722 a.C. pela Assíria, quanto em 586 a.C pela Babilônia, assim como em 70 d.C. por Roma.

Por Luiz Carlos Fernandes


by:mangasafra