Seja bem vindo!

●๋•__ Grandes realizações tiveram início com apenas um sonho e era que um dia este sonho se tornaria realidade. Então, vá em frente e acredite! Ouse sonhar!__ °.•

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

#VOCÊ SABE ONDE CAIU?

O gente!
Algo muito importante na vida cristão é saber reconhecer os nossos erros e onde foi que caímos.
Leiam...

Apocalipse 2.1-7

Quando falamos em queda, a impressão é que sempre está ligada ao pecado, porém é preciso saber que, quando mudamos a rota de nossos ministérios, pode ser uma queda que nos trará consequêcias. E não, necessariamente, um pecado cometido.

A igreja de Éfeso era modelo para as outras seis igrejas, uma espécie de igreja mãe. Assim, o que ocorria com ela poderia afetar todo o ministério na Ásia Menor. Era uma igreja extraordinária que perdeu sua essência. Por que perdemos nossa essência? Porque estamos achando mais fácil investir no que já deu certo do que criar uma nova história. Centenas de igrejas são abertas a cada mês no Brasil, porém a grande maioria delas foi construída em cima de uma repetição e não em cima de uma evidência, o que as torna frágeis e gera novos críticos em vez de novos crentes.

Um santuário era levantado debaixo do seguinte entendimento: teofania, comunicação divina, instauração do culto. A teofania é um lugar onde houve uma manifestação de Deus, uma revelação. Por isso volto ao entendimento de como se deve construir um ministério, que é “um lugar onde existe evidência”.

Em 2 Samuel, vemos como foi um sacrifício para Davi levar a arca da casa para o templo. “E sucedeu que, quando os que levavam a arca do Senhor tinham dado seis passos, sacrificavam bois e carneiros cevados. E Davi saltava com todas as suas forças diante do Senhor; e estava Davi cingido de um éfode de linho. Assim, subindo, levavam Davi e todo o Israel a arca do Senhor, com júbilo e ao som de trombetas”. Imagine a cada seis passos construir um altar! Vemos que era necessário sacrificar para recuperar o que havia sido perdido. A arca só voltou para o lugar dela quando Davi voltou para o lugar dele, o lugar de adoração.

Deus quer devolvê-lo ao lugar de evidência em seu ministério. Devolva “a arca” para o lugar devido, mas só tem um jeito: quando você voltar para o lugar do seu chamado. Dê o passo da adoração dentro da evidência do seu ministério.

by:marcelosafra

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

#QUEM É O SEU PRÓXIMO?

Oi gente!
Vamos falar do próximo?
Leiam...

Lucas 10.25-37

No texto de Lucas, vemos mais um dos duelos que Jesus travou durante todo o Seu ministério. Grande parte das vezes que Jesus era questionado, o objetivo principal era de pegá-Lo em algum erro, e, neste caso, não foi diferente, pois havia vários conceitos a respeito de vida eterna, da mesma maneira que hoje vemos sendo pregado.

Quando nos convertemos, entramos na vida eterna e recebemos de Deus essa nova vida. Alguns termos exemplificam isso para nós: crônos (tempo do homem) se refere ao nosso tempo comum no qual vivemos por ele; kairós (tempo de Deus) significa que dentro do nosso tempo existem oportunidades de Deus; aiônion zoé (vida eterna) mostra para nós que, como filhos de Deus, estamos dentro desse tempo e que Satanás já está derrotado, tudo já aconteceu.

No texto de Lucas, o perito da lei pergunta a Jesus ‘quem é meu próximo’, pois conhecia bem as escrituras e que não significava a pessoa que vive perto, significava a comunhão, o dar-se para o outro. Para um fariseu, apenas outro fariseu era seu próximo. Segundo algumas seitas da época, “o próximo” era apenas outra pessoa que pertencia à mesma seita. Parece que isso não mudou muito. Hoje, os crentes querem ajudar apenas outros da fé, e quando ajudam!

No texto, vemos que todos que passavam pelo homem ferido tirava uma conclusão precipitada: “Deve estar envolvido com alguma coisa errada ou com a mulher de alguém”. A melhor desculpa para não ajudar é julgar a pessoa.

Era comum, naquela época, alguém viajar e ter em sua bagagem óleo e vinho. Um era utilizado como uma espécie de antisséptico e outro, para aliviar a dor, mas eu posso dar outro sentido a esses alimentos. O óleo significa unção externa e o vinho, unção interna, que me faz parecer com Jesus. Continuando a história, o samaritano ainda colocou o homem sobre seu próprio animal, o levou para a hospedagem e a deixou paga, ou seja, teve disposição de entregar o que tinha aos pés do Senhor, de levar para um lugar de cura e cuidar para que ficasse bom.

E você, tem sido próximo de alguém?
“A melhor desculpa para não ajudar é julgar a pessoa”.

by:marcelosafra